...

Plano de Saúde Individual

Plano de Saúde Individual

Com a correria do dia a dia muita gente acaba se esquecendo de coisas muito importantes, como, por exemplo, cuidar da saúde. Mas quando um problema aparece e precisa de um médico nem sempre é fácil conseguir atendimento público gratuito com rapidez.

Por conta disso, ter um plano de saúde individual pode ajudar muito. A grande vantagem disso, você não depende de seu emprego para garantir o acesso ao plano de saúde individual, podendo conseguir atendimento a qualquer momento que precisar.

Como funciona o Plano de Saúde Individual

Para quem pensa em adquirir um plano de saúde individual deve entender primeiro como esse serviço funciona.

Como o próprio nome já diz ele é direcionado pra uma única pessoa, não podendo ser compartilhado. Para isso é preciso escolher um plano adequado ao seu perfil, e são muitas as opções disponíveis no mercado.

Algumas opções mais comuns de serem encontradas são os planos com e sem coparticipação. Isso significa que em um plano de saúde individual sem coparticipação você pagará uma mensalidade com um valor mais elevado, porém ao utilizar os serviços não precisará pagar nenhuma taxa adicional. Os planos coparticipativos possuem mensalidade ou taxa anula, porém de acordo com o serviço utilizado é cobrada uma taxa pelo serviço.

Outra variação que ocorre nos planos é o tipo de acomodação em caso de internação. Essas podem variar entre enfermarias, quartos compartilhados e apartamentos. Claro que quanto mais privacidade o paciente tiver mais alto será o custo, mas mesmo assim em muitos casos vale a pena pagar.

Para as mulheres existe um ponto de atenção, a obstetrícia. Muitos planos básicos não contemplam esse tipo de serviço, por isso se pretende ter filhos é bom escolher um plano de saúde individual com esse tipo de cobertura, assim todo o pré natal e parto já estará incluso.

Alguns planos possuem serviços adicionais opcionais e esses costumam ser muito variados. Os planos mais completos costumam ter serviços que vão desde ambulâncias com equipamentos completos, coletas de exames domiciliares e transporte aéreo em casos mais graves.

Cobertura do Plano de Saúde Individual

Todos os detalhes na hora de contratar um plano de saúde individual devem ser observados e uma coisa que muita gente se esquece é a cobertura. A cobertura garante o tipo de serviço que o associado poderá utilizar e em quais locais.

Nem todos os procedimentos médicos e exames estão inclusos em todos os planos, por isso deve se verificar a lista completa do que está contemplado. Existe uma lista mínima de procedimentos e atendimentos médicos que o plano deve possuir segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Outro ponto a ser observado é quais são os locais de atendimento. Existem planos com cobertura regional, ou seja, só atende em determinadas cidades de uma região, os com cobertura nacional e até mesmo cobertura internacional.

Porém, a área de cobertura não garante que você será atendido em qualquer hospital e nem por qualquer médico. Para isso, deve se verificar qual q rede credenciada, ou seja, quais são os médicos que atendem ao plano, hospitais, clínicas e laboratórios.

Em relação à cobertura internacional ela costuma ser um pouco diferente, pois não existem médicos e hospitais credenciados. Nesse caso, o associado de um plano de saúde individual que precisar de atendimento no exterior costuma ter um valor máximo a ser reembolsado. Nesse caso o paciente arca com os custos e a operadora do plano de saúde o restitui mediante comprovação até o limite estipulado.

[bannerTipo]

Carência do Plano de Saúde Individual

A carência é o tempo que após a contratação do plano de saúde individual você terá que esperar para poder utilizar determinado serviço. A grande maioria dos planos não possui isenção de carência, mas isso pode ser conseguido no caso de migração de operadora de plano de saúde.

As carências costumam variar de 24 horas, no caso de atendimento de urgência e emergência até 300 dias para obstetrícia. Para procedimentos de consulta e exames laboratoriais e carência costuma ser de 30 a 180 dias. O maior prazo costuma ser para caso de doenças e lesões pré existentes, ou seja, aquelas que o paciente já possuía quando contratou o plano. Nesse caso a carência para atendimento pode chegar a 24 meses para atendimento de alta complexidade.

Esses são os prazos de carência máximos permitidos pela ANS, porém as operadoras de plano de saúde individual podem optar por reduzir esses prazos a seu critério. Portanto se atente a cada prazo no momento da contratação para não ter problemas na hora de utilizar.

Como contratar o Plano de Saúde Individual

Para quem está pensando em contratar um plano de saúde individual deve primeiro procurara saber mais sobre o plano e a recomendação dele no mercado. Feito isso realize uma pesquisa para saber o que cada plano cobre e os valores, assim fica mais fácil de fazer uma comparação.

Em alguns casos é possível fazer a contratação direto com a empresa que presta o serviço (operadora do plano ou hospital), porém pode se também optar por empresas que oferecem esse tipo de serviço. Vale ficar atento, pois o mesmo plano pode ter variação de valor conforme o local de contratação.

É muito comum encontrar empresas que fornecem desconto no caso de aquisição do plano de saúde individual para uma determinada categoria trabalhista, por isso é que é importante pesquisar bem.

Após escolhido e plano é preciso assinar um contrato que especifique exatamente o que está sendo contratado e você deve ficar com uma cópia desse. Nesse contrato devem estar especificados os valores, porém esse podem sofrer reajustes anuais de acorco com as regras da ANS.

Se atente que a grande maioria possui uma cláusula de tempo mínimo de permanência, o mais comum e 12 meses, e caso o contrato seja reincidido ante desse período haverá uma multa rescisória.

Pagamento do Plano de Saúde Individual A grande maioria dos planos trabalha com mensalidades pagas por meio de boletos e permite que o cliente escolha entre algumas datas de vencimentos. O valor da mensalidade costuma ser fixo, porém para os que optaram por um plano coparticipativo o valor do boleto pode variar, pois quando existe utilização do serviço também existe uma taxa por utilização desse. Algumas operadoras estimulam um valor máximo que poderá ser cobrado por mês de taxas de coparticipação, outras já não, por isso se programe. As formas mais comuns de pagamento é por boleto bancário, porém algumas operadoras de plano de saúde individual oferecem a opção de pagamento com o cartão de crédito.  Para quem não quer ter o serviço suspenso é extremamente importante manter as parcelas em dia, pois em caso de atraso o serviço ficará suspenso e você sem cobertura médica.

Como usar o Plano de Saúde Individual

Para usar o plano de saúde individual é preciso estar portando a carteirinha de associado. Essa é emitida após a assinatura do contrato e vem com os dados do associado como nome e número do contrato.

Para agendar uma consulta ou exame é preciso verificar a rede credenciada antes de entrar em contato. Em muitos casos é possível agendar a consulta direto no consultório médico, em outros casos é preciso ligar em uma central de atendimento que fará esse agendamento.

Segundo a Agencia Nacional de Saúde, cada procedimento médico tem um prazo para ser atendido e isso deve ser cumprido pelas operadoras. Porém, isso não determina que preciso ser por um médico específico, por isso se quiser agendar consulta com o médico X, pode levar 2 meses, mas e for com qualquer médico da mesma especialidade pode ser em uma semana.

Agendada a consulta é preciso chegar ao local com antecedência do horário marcado portando a carteirinha do convênio e um documento de identidade com foto. É muito comum a recepcionista ou médico pedirem para assinar um documento, esse comprova que você realizou a consulta.

No caso de realização de exames laboratoriais a grande maioria precisa de um encaminhamento médico com a solicitação, por isso é importante visitar o médico antes. Dependo do tipo de exame ele só é realizado com hora marcada, já outros são realizados por ordem de chegada.

Se atente ao tipo de exame, pois alguns mesmo que cobertos pelo plano precisam de uma liberação que pode ser feita por uma guia que a operadora emite ou um código de liberação. Nesse caso primeiro deve se ter a liberação da operadora para depois agendar o exame.

Uma dica para quem tem um plano de saúde individual coparticipativo e não quer ter surpresas na fatura é se atentar a quantidade de exames. É comum em uma única guia o médico solicitar diversos exames, e cada um tem um custo.

Para os casos de urgência e emergia é preciso ir até um pronto socorro da rede credenciada, por lá o paciente passará por uma triagem e será atendido de acordo com o grau de urgência. Não ache que só porque possui um plano particular o atendimento será de imediato, existe uma fila de urgência e ordem de chegada.

Independente do tipo de atendimento buscado, é sempre preciso estar portando a carteirinha de identificação e um documento com foto para conseguir o atendimento, caso contrário ele pode ser negado pelo plano.

 

Confira as principais Tabelas de preços de Plano de Saúde: