...

Plano de Saúde para Gestantes

Para as mulheres, a gestação é um momento muito especial e tudo precisa estar tranquilo. Para que a saúde da mulher e do bebê estejam bem, é preciso realizar um acompanhamento médico desde o inicio da gravidez até após o parto e um plano de saúde para gestante é a melhor opção.

O ideal é que todo o pré-natal seja realizado pelo mesmo médico. Assim, ele conseguirá fazer o acompanhamento durante toda a gestação e acompanhar o desenvolvimento dela. Porém, quando se trata do sistema público de saúde nem sempre isso é possível e, às vezes, para agendar uma consulta demora muito mais tempo do que deveria. Por isso, uma boa alternativa é o plano de saúde para gestante.

Além de ele garantir todo atendimento necessário no tempo correto, ainda se tem a certeza de poder contar com bons profissionais e toda a infraestrutura necessária.

Como funciona o plano de saúde para gestante

Para contratar o plano de saúde a primeira coisa é escolher uma operadora autorizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), conhecer quais produtos ela oferece (normalmente elas possuem diversos planos) e a área de cobertura.

O plano de saúde para gestante deve ser contratado antes de a mulher engravidar. Isso porque ao aderir ao plano, existem carências que precisam ser cumpridas. Pensando na gestação os procedimentos médicos que precisam ser realizados tem uma carência de 180 dias para exames e 300 dias para parto, por isso a importância de se programar antes.

Em alguns casos, essa carência pode ser reduzida ou isenta, como por exemplo, a critério da operadora ou no caso de portabilidade de operadora desde que sejam atendidas todas as regras necessárias para que isso ocorra.

Outra coisa muito importante é que o plano possua cobertura para obstetrícia. Assim, o parto pode ser realizado com a cobertura do plano. Para quem busca mais conforto na internação ainda pode optar por acomodação tipo apartamento, assim terá mais privacidade.

A mãe do plano de saúde para gestante, tendo as informações acima em mente, fica muito mais fácil de fazer todo o acompanhamento necessário. Já nos primeiros sinais de gravidez pode agendar um consulta com um ginecologista.

Caso ainda não se tenha certeza da gravidez será solicitado um teste para se ter certeza. Confirmada a gestação o médico encaminhará para realizar diversos exames, e esses são cobertos pelo plano de saúde para gestante.

Apesar de o exame estar coberto pelo plano dependendo do tipo de plano será preciso pagar uma taxa sobre o valor do serviço prestado. Existem duas modalidades de cobrança nos planos de saúde para gestante: a coparticipativa e a sem coparticipação.

A modalidade coparticipativa para cada procedimento utilizado, seja consulta, exames, internações, outros, será cobrada uma pequena taxa de acordo com o procedimento realizado. Portanto, se forem realizados 10 exames laboratoriais, na próxima fatura além da mensalidade virá também 10 taxas coparticipativas.

Na modalidade sem coparticipação, o valor da mensalidade é mais alto, porém ele já inclui todos os procedimentos e não gera nenhum taxa de coparticipação.

Um ponto que merece muita atenção no plano de saúde para gestante individual é o pagamento em dia, pois caso haja atraso de mais de 60 dias o plano pode ser cancelado e a mulher fica sem cobertura.

A importância do pré-natal

Apesar de muita gente ainda achar “frescura” ir tanto ao médico durante a gravidez, por achar a quantidade de exames absurda, isso é necessário. Gravidez não é doença, porém se não for acompanhada e feitos todos os procedimentos necessários pode se transformar em uma a trazer sérios riscos para a mãe e o bebê.

O pré-natal deve ser realizado desde que a gravidez foi descoberta. Dessa forma, é possível acompanhar a saúde da mãe e da criança. Com os exames necessários podem ser descobertas doenças que a paciente muitas vezes desconhecia, e pode se tratar a tempo de se tornar algo mais grave.

Para a criança permite que se acompanhe o desenvolvimento dela e identifique se a formação está acontecendo de forma correta. Em alguns casos é possível tratar doenças antes mesmo da criança nascer.

O pré-natal bem feito é responsável pela diminuição de morte de crianças durante o parto e também pela melhor qualidade de vida delas após nascidas. Esse procedimento não apenas preserva a saúde das duas vidas envolvidas como também permite que elas tenham uma melhor qualidade de vida e tratamento adequado aos problemas de saúde.

Para as mães ainda dá mais tranquilidade e permite que ela conheça melhor o profissional que lhe acompanhará durante toda a gravidez e assim poderá lhe deixar mais tranquila durante o parto.

Em relação ao parto, o pré-natal garante que se tenha o acompanhamento da posição do bebê, assim é possível prever se poderá ser realizado o parto normal ou se há a necessidade de se fazer uma cesariana.

Exames necessários durante a gestação

É preciso começar o pré-natal desde muito cedo e para que tudo esteja bem, são necessários muitos exames e acompanhamento médico. Veja alguns exames necessários e que estão inclusos no plano de saúde para gestante.

Hemograma: esse exame avalia como estão os glóbulos brancos e vermelhos do sangue e permite identificar se a gestante está com anemia, como está a coagulação do sangue e se existe infecção. Ele costuma ser feito no início da gestação, mas pode ser realizado durante ela também.

Glicemia: avalia a quantidade de açúcar no sangue. Ele avalia se não existe diabetes gestacional, uma doença cada vez mais comum e que pode trazer risco para a mãe e o bebê. Essa medição pode ser feita de duas formas com 8 horas de jejum para saber a glicose do sangue e 2 horas após ingerir açúcar (curva glicêmica).

ABO e fator Rh: o primeiro auxilia em caso de necessidade de transfusão de sangue. O segundo avalia os fatores Rh do sangue da mãe e do bebê caso a mãe seja fator negativo e o bebê positivo é necessário ministrar um medicamento para não afetar a saúde do bebê. Ele é realizado no inicio da gravidez e não precisa ser repetido.

HIV: realizado no inicio da gravidez visa identificar se a mãe possui o vírus da AIDS. Em caso positivo, o tratamento deve ser iniciado imediatamente para que a doença não passe para a criança.

Hepatite C e B e citomegalovírus: As hepatites podem passar para o bebê e caso deem positivas, por isso precisam ser acompanhadas. O citomegalovírus, apesar de ser uma doença rara pode causar má formação. Normalmente os testes são feitos no primeiro e terceiro trimestre da gestação.

Urina e fezes: o exame de urina vai identificar se a mulher está com alguma infecção que precisa ser tratada, já o exame de fezes identifica a presença de vermes. Os dois são realizados bem no inicio da gestação e o exame de urina repetido algumas vezes.

Ultrasonografia: essa deve ser realizada pelo menos 4 vezes durante toda a gestação, mas se o médico identificar a necessidade de fazer mais vezes não há problema. O primeiro exame deve ser realizado bem no inicio da gestação, ele vai identificar se a gestação está acontecendo dentro do útero, qual o tempo do feto e quantos bebês existem.

O segundo exame é feito entre 11 e 14 semanas e vai avaliar o desenvolvimento e formação da criança. O próximo ocorre entre 20 e 24 semanas e também avalia a morfologia – formação de órgãos e membros. O último é feito com cerca de 32 semanas e avalia se o bebê cresceu como deveria e se está na posição certa para o parto.

Benefício do plano de saúde para gestante

Além de se ter todo o acompanhamento médico e infraestrutura necessária para realizar o pré-natal e o parto da criança, as operadoras de saúde costumam ter programas de auxiliam as mães durante esse período, principalmente as mães de primeira viagem, com o plano de saúde para gestante.

É muito comum as operadoras oferecem cursos para a preparação dos pais para receber a criança. São feitas palestras que abordam diversos temas relacionados ao assunto e que visam esclarecer todas as dúvidas do casal.

Existem também cursos preparatórios que ensinam desde como segurar uma criança, até como dar banho, trocar, alimentar e muito mais.

A rede credenciada costuma ser bem ampla o que permite a mãe escolher o médico que fará o pré-natal e o parto. A escolha do hospital também é outra vantagem. A grande maioria dos planos permite mais de uma opção de local para que seja realizado o parto com toda a estrutura necessária.

Os hospitais também pensando nesse momento tão importante resolveram inovar e disponibilizar serviços para as portadoras de plano de saúde para gestante. Hoje já é possível publicar no site do próprio hospital os dados e as fotos da criança que acabou de nascer. Dessa forma, permite que amigos e familiares vejam a criança sem precisar causar transtornos enquanto a mãe se recupera.

Na verdade, cada operadora costuma ter um pacote de benefícios diferenciados para o plano de saúde para gestante, mas, independente de qual seja, eles costumam ajudar muito.

Confira as principais Tabelas de preços de Plano de Saúde: