...

Plano de Saúde Familiar

Quando falamos de família esse é um motivo de orgulho e inclui pessoas que queremos bem e protegidas. A família é muito importante e a base para qualquer pessoa, por isso é extremamente importante que todos os membros estejam saudáveis e o Plano de Saúde Familiar é primordial.

Pensando nesse conceito muitas empresas têm trabalhado para oferecer serviços que incluam todos os membros do agregado familiar e proporcionem a eles bons momentos. Os segmentos são os mais diversos, entretenimento, cultura, lazer, culinária e porque não saúde.

Já faz algum tempo que a área de saúde entendeu que um familiar doente pode comprometer uma família inteira, por isso pensou em uma solução para esse problema. Com o sistema de saúde público deficitário elas, as operadoras de saúde, começaram a oferecer planos de saúde familiar, assim conseguem garantir uma cobertura ideal para toda a família.

A procura por esses planos de saúde cresce cada dia mais, isso porque as pessoas estão vendo o beneficio que eles podem trazer. Por conta desse crescimento e por falta de informação muita gente acaba adquirindo um plano de saúde familiar sem saber exatamente o que está levando.

Separamos algumas informações para que possa conhecer um pouco mais sobre o plano de saúde familiar e se atender em alguns pontos antes de fechar negócio.

O que é uma operadora de saúde

As operadoras de saúde são empresas autorizadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar a comercializar planos de saúde familiar, individual e coletivo. Essas operadoras por mais que tenham essa autorização precisam validar todos os planos que pretendem comercializar e isso requer uma autorização para cada produto.

Por mais que elas sejam empresas privadas precisam cumprir com a legislação vigente e devem seguir critérios rigorosos com seus produtos. Dentre os produtos que podem ser comercializados por elas nas áreas de saúde estão os planos de saúde e planos odontológicos.

As operadoras de saúde nem sempre podem atuar em qualquer região do país, existem algumas que tem autorização para atuar em todo o território nacional, já outras podem atuar em algumas regiões ou estados. Isso vai depender da área de interesse da operadora e da autorização concedida pela ANS.

Diferença de plano individual para Plano de Saúde Familiar

Apesar de muito se falar de plano de saúde, muita gente ainda não conhece algumas diferenças básicas dos produtos comercializados. Existem dois produtos que são destinados para pessoas físicas (aquelas que se identificam por um CPF), são eles o plano de saúde individual e o plano de saúde familiar.

Apesar do público aparentemente ser o mesmo, isso é um engano. O individual é destinado a uma única pessoa, ou seja mais indicado para pessoas que vivem sozinhas e que não tem filhos ou dependentes diretos. Já o plano de saúde familiar seria uma espécie de pacote, pois com ele se tem plano de saúde para toda a família.

Existe um titular que é o responsável pelo plano e ele pode incluir dependentes. Esses dependentes não podem ser qualquer pessoa, normalmente as operadoras aceitam apenas filhos e esposa. Em alguns casos, são aceitos outros tipos de parentes desde que se comprove que eles são dependentes financeiros (esses casos são mais raros).

[bannerTipo]

Como escolher um plano

Escolher um plano não é nada fácil, já que existem dezenas de opções disponíveis e centenas de planos de saúde familiar. Portanto, é preciso verificar alguns itens antes de decidir.

A primeira coisa é fazer um levantamento das operadoras que atuam na sua região de interesse, feito esse levantamento vale a pena verificar como anda a autorização dela e quais planos pode comercializar. Isso pode ser conferido no site da ANS.

Feito isso é hora de começar e levantar as informações sobre o que cada plano oferece. Mesmo havendo alguns procedimentos que são obrigatórios que o plano cubra segundo o Rol de procedimentos da ANS, a operadora pode oferecer serviços adicionais. Isso precisa ser verificado, pois pode ser que um tipo de atendimento que você precise não esteja coberto.

Dois itens que costumam variar muito nos planos são o tipo de acomodação e a obstetrícia. A acomodação corresponde onde você ficará internado caso precise, normalmente são oferecidas as opções enfermaria (onde em um mesmo quarto existe diversos pacientes) e apartamento. Os apartamentos não comportam mais que dois pacientes, tem banheiro privativo e costumam ter uma televisão para entretenimento, além é claro de dar mais privacidade.

Já a obstetrícia se refere a cobertura de partos, é indicada para mulheres jovens e que pretendem ter filhos. Para os homens esse modalidade não é comercializada por motivos óbvios.

Existem também categorias de planos, existem os que cobrem os procedimentos básicos, os intermediários e os completos. Quando se fala de um plano família é preciso se atentar a isso, pois normalmente o plano do titular será o mesmo para o dependente e as necessidades podem não ser as mesmas. Por isso tem de se verificar se o que está sendo contratado irá atender a todos.

A rede credenciada e valores também precisam ser observados, mas falaremos deles logo a seguir.

O que o Plano de Saúde Familiar oferece

É muito comum a dúvida sobre o que o plano de saúde familiar pode oferecer e se formos listar todos os procedimentos cobertos aqui por todos os planos não iremos terminar nunca. De uma forma resumida, todas as operadoras trabalham da mesma forma.

Elas possuem um plano de saúde familiar básico que engloba os procedimentos exigidos pelo Ral da ANS que são consultas médicas de diversas especialidades, exames laboratoriais clínicos de baixa e médica complexidade, atendimento de urgência e emergência, internações e cirurgias (essas não englobam procedimentos estéticos).

Os planos intermediários incluem alguns serviços adicionais e os completos possuem basicamente tudo que se possa imaginar até mesmo procedimentos estéticos.

A rede de atendimento e abrangência também deve ser verificada, alguns planos só possuem cobertura regional e só atendem naquela determinada região. Outros possuem uma cobertura regional, porém para casos de urgência e emergência tem parcerias para realizar o atendimento em todo o território nacional.

Os planos mais completos possuem médicos e hospitais credenciados por todo o território nacional, sendo esse indicado para quem viaja muito e nunca está parado. Para quem viaja para fora do país também pode ter cobertura dos planos de saúde família comercializados no Brasil, porém costuma ser um pouco diferente. Como seria muito difícil ter uma rede credenciada por todo o mundo eles costumam estipular um valor que pode ser utilizado para questões de saúde em outros países. Fazendo a utilização desse valor o cliente deve apresentar o comprovante para que possa ser reembolsado.

Além dos procedimentos inclusos no plano, é muito comum as operadoras ofertarem serviços adicionais que podem ser combinados a eles. Esses adicionais variam muito, mas não é incomum vermos atendimento em uma rede especifica de laboratórios, remoção por ambulância ou aérea, atendimento domiciliar, programas de prevenção à saúde e até mesmo um seguro desemprego que cobre as mensalidades do plano.

Como a gama de serviços é bem ampla e a rede credenciada responsável pelo atendimento maior ainda o cliente possui um guia de atendimento médico que pode fazer a consulta sobre os médicos e locais de atendimento. Esse guia muitas vezes é disponibilizado de forma online nos sites e por lá mesmo é possível verificar a disponibilidade de agenda e agendar as consultas.

Carência para atendimento no Plano de Saúde Familiar

Mesmo após a adesão do plano de saúde familiar, nem todos os procedimentos podem ser utilizados imediatamente, tendo que se esperar um tempo de acordo com o procedimento. Isso ocorre para que a empresa possa se adequar aos novos clientes e é regulamentado.

Esse prazo de carência pode variar de 24 horas, como é o caso para atendimento de urgência e emergência, chegando até 24 meses para doenças preexistentes. Para saber o prazo correto de cada tipo de atendimento é preciso verificar com a operadora, pois apesar de existir um limite máximo regulamentado pela ANS, em alguns casos as operadoras diminuem ou até mesmo isentam o cliente da carência.

Como acontece a cobrança do Plano de Saúde Familiar

Conforme falamos acima, é preciso verificar os preços e os serviços cobertos por cada plano de saúde familiar. Isso porque as operadoras tem flexibilidade para trabalhar com os valores e a diferença em muitos casos é grande.:

A maioria das empresas trabalha com mensalidades, porém nem sempre elas são fixas. Isso porque existem duas modalidades de cobrança: a coparticipativa e a sem coparticipação.

A coparticipativa tem uma mensalidade com o valor reduzido, porém quando o beneficiário ou seus dependentes utilizam o plano eles pagam uma taxa de acordo com o serviço que foi utilizado. Por isso é preciso ficar atento porque o valor pode variar muito de um mês para o outro.

A sem coparticipação possui uma mensalidade fixa. É verdade que o valor dela é mais alto, porém ela já cobre todos os serviços e não se paga taxa adicional nenhuma quando eles são utilizados.

Outro fator que merece atenção é em relação ao reajuste do Plano de Saúde Familiar. Esse ocorre anualmente e tem sua porcentagem autorizada pela ANS, normalmente acontece nos primeiros meses do ano.

Confira as principais Tabelas de preços de Plano de Saúde: