fbpx
Ir para o conteúdo
Plano de Saúde para Gestantes

Tipos de parto: o que faz parte da cobertura do plano de saúde?

Leitura: 8 min
2432 visualizações

A chegada de um filho muda a vida dos pais completamente. Muitos se antecipam e planejam algumas mudanças antes mesmo de o bebê nascer. Preparam o quarto, compram móveis, roupas, eletrônicos, sempre de forma a zelar pelo pequenino que está a caminho. Outros planejam a gravidez para o momento que julgam mais oportuno. Juntam dinheiro, mudam para uma casa maior, compram livros para aprender um pouco mais sobre a nova vida que terão.

No entanto, há um fator que deve receber muita importância dos futuros pais — os tipos de parto e a cobertura dos planos de saúde. Continue a leitura para entender quais procedimentos estão incluídos nas coberturas de operadoras de saúde, quais são as opções da futura gestante, e a importância de analisar a carência do plano.

Conheça os tipos de parto que estão inclusos em planos de saúde

Quem planeja ter um bebê, principalmente a futura gestante, está cada vez mais antenado aos tipos de parto existentes. Atualmente, há um movimento de conscientização e valorização do parto normal, e além disso, do humanizado, que busca acolher da melhor forma possível mãe e filho.

Mas você precisa saber que apenas dois tipos de parto são cobertos pelos planos de saúde — o parto normal e a cesariana. Conheça as especificações de cada um a seguir.

Parto Normal

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as mulheres passem pelo parto normal. Isso porque esse tipo de procedimento é mais seguro para a mãe e para o bebê, já que é menos invasivo. Conheça algumas das características do parto normal:

a maioria das mães se recupera rápido e pode se levantar pouco tempo após o parto;

  • não é preciso sentir dor durante o parto normal — a anestesia peridural pode ser aplicada e não faz mal para o bebê;
  • o corpo está naturalmente preparado para a amamentação após o parto normal.

Cesariana

A cesariana é uma cirurgia, e é recomendada em casos de mulheres que não podem passar pelo parto normal. Cabe ao médico fazer uma avaliação para saber se a cesariana é realmente necessária no momento do trabalho de parto. No entanto, o Ministério da Saúde afirma que mais da metade dos partos realizados no Brasil são cesáreas. Veja em quais casos a cesariana é indicada:

  • quando a mulher não tem dilatação suficiente para a realização do parto normal;
  • quando o bebê não está em posição favorável ao parto normal, por exemplo, sentado;
  • quando o bebê é muito grande;
  • quando o cordão umbilical está enroscado no pescoço;
  • quando o trabalho de parto se estende demais.

Tipos de Parto

Saiba quais são as regras da ANS para a cobertura de partos

É importante lembrar que em 2015, a Agência Nacional de Saúde (ANS) estipulou novas regras com relação a cobertura de partos para planos de saúde. As modificações nas diretrizes ocorreram para que as gestantes compreendam que a cesariana não deve ser a primeira opção. A seguir, entenda quais foram as principais mudanças.

Partograma

O partograma é um documento no qual a equipe de saúde informa as condições da mãe e do bebê durante o trabalho de parto. Isso facilita que, em caso de troca de equipe, todos possam ter informações sobre o caso específico. No partograma devem constar ainda se a mãe é diabética ou hipertensa, se há sofrimento fetal ou qualquer tipo de alteração. Caso a cesariana seja necessária, o médico deve fazer essa observação no documento.

Cartão de gestante

O cartão da gestante reúne todas as informações sobre a saúde da mulher durante a gravidez. Devem constar no cartão:

  • os resultados de exames feitos durante os nove meses;
  • medicamentos em uso;
  • se a paciente é portadora de doenças crônicas como diabetes e hipertensão;
  • peso, altura, e outras informações relevantes.

Ainda dentro do cartão da gestante, a futura mãe poderá ler a Carta de Informação à Gestante, que reúne informações sobre o parto normal e a cesariana. Dessa forma, a mulher pode fazer uma escolha baseada em dados e ciente de quais são as vantagens e especificidades de cada procedimento.

Termo de consentimento livre e esclarecido para a cesariana

A gestante pode escolher por qual tipo de parto passará, no entanto, caso opte pela cesariana em casos que não há necessidade médica explícita, a mulher deverá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido. No documento devem estar reunidos todos os riscos que a cirurgia oferece para a mãe e para o bebê, todas as informações do médico e da gestante e a assinatura de ambos. Sem a assinatura desse termo, o plano de saúde não é obrigado a cobrir o procedimento.

Percentuais de cesáreas e partos normais por estabelecimento de saúde e por médico

A ANS possibilita que os usuários solicitem às operadoras os percentuais de cada tipo de procedimento realizado por estabelecimento de saúde e por cada médico. Os dados devem ser apresentados em até 15 dias. A ANS ainda divulga o índice de procedimentos por operadora de saúde.

Fique atenta aos seus direitos

Se no seu plano de saúde os serviços de obstetrícia estão incluídos, fique atenta aos seus direitos. Todos os procedimentos, desde o pré-natal, passando por exames e o parto devem ser cobertos pelo plano com obstetrícia inclusa. A cobrança de honorários é indevida e, caso aconteça, a paciente pode acionar a operadora de saúde e relatar o fato.

A gestante tem direito a um acompanhante no momento do trabalho de parto, parto e pós-parto.

Confira a carência do seu plano

Se você já tem um plano de saúde, mas a obstetrícia não está inclusa, ou se você ainda não possui um plano, fique atenta! A carência, ou seja, o período que você deve aguardar para usufruir dos benefícios, como exames, pré-natal e parto, é de dez meses! Portanto, se você está planejando ter um filho, leve em consideração o prazo.

Agora que você já conhece mais sobre os tipos de parto cobertos pelos planos de saúde e quais são suas particularidades, pode refletir sobre qual procedimento deseja realizar. Se ainda está planejando a chegada de um bebê, converse com um médico e tire todas as suas dúvidas.

E lembre-se — o plano de saúde é um ótimo recurso para se sentir segura durante a gestação, pense com carinho sobre incluir a obstetrícia no seu pacote, ou contratar uma operadora de saúde!

Gostou deste artigo sobre a cobertura dos tipos de parto? Que tal aproveitar a visita e conferir a cotação de plano de saúde no seu estado? Confira importantes dicas no post!

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: