Ir para o conteúdo
Odontológico Saúde

Serviços da rede pública destinados à saúde bucal serão ampliados

Leitura: 5 min
142 visualizações

Uma boa notícia para os milhões de pessoas que ainda dependem da rede pública de saúde: o governo anunciou um aporte de R$ 250 milhões para a assistência à saúde bucal no país.

O investimento pretende fortalecer o atendimento odontológico na Atenção Básica, a principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o país, através de mais qualificação e a compra de equipamentos.

Em contrapartida, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou um aumento de 1,5 milhão de usuários nos planos exclusivamente odontológicos entre novembro de 2016 e novembro de 2017.

Os dados da ANS mostram que, apenas entre outubro e novembro de 2017, os planos odontológicos ganharam mais de 135 mil novos beneficiários.

CEOs priorizam diagnósticos e tratamentos especializados

Os recursos anunciados pelo governo federal deverão ser empregados principalmente na compra de novos equipamentos, como aparelhos de raios-X, autoclave, fotopolimerizador, cadeiras odontológicas, compressor, mocho e amalgamador, por exemplo.

As equipes de saúde bucal que atuam na Atenção Básica do SUS realizam ações de promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e manutenção da saúde, com o objetivo de resolver pelo menos cerca de 80% da demanda da população.

Em novembro 14 estados receberam investimentos para implantação de 35 Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), unidades preparadas para enfatizar diagnóstico e tratamento em câncer de boca, cirurgia oral menor, endodontia, periodontia especializada e atendimento a portadores de necessidades especiais.

No mesmo mês, houve a entrega simbólica de 2,6 milhões de kits de saúde bucal – creme, escova e fio dental – para comunidades indígenas em diversas regiões brasileiras.

Planos exclusivamente odontológicos crescem cada vez mais

Enquanto isso, os planos exclusivamente odontológicos não param de crescer em número de usuários. Atualmente há nada menos que 766 operadoras de saúde suplementar ativas no Brasil e 399 operadoras exclusivamente odontológicas.

De acordo com a pesquisa DataPoder 360, apesar dos esforços do Ministério da Saúde, 68% da população considera a situação da saúde pública cada vez pior, com 39% dos hospitais com avaliação negativa.

Com isso, a migração para os planos de saúde e planos odontológicos é cada vez maior.

Os motivos estão, literalmente, na boca do povo. Além dos preços bastante acessíveis, os serviços chamam a atenção pela qualidade e sua diversidade.

Hoje é possível encontrar planos odontológicos bastante variados, que não só cabem no bolso com facilidade, mas também atendem às mais diversas necessidades de adultos, crianças e idosos.

Novos procedimentos beneficiam milhões de usuários

Por outro lado, desde o último dia 2 de janeiro de 2018, 22,6 milhões de usuários dos planos odontológicos foram beneficiados com a inclusão de novos procedimentos – de acordo com a atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, realizada a cada dois anos.

De acordo com a própria ANS, as operadoras que não cumprirem a nova lista estão sujeitas a multa de R$ 80 mil a cada recusa.

Uma das vantagens é a cobertura de órteses e próteses pelos planos odontológicos para idosos ou qualquer outra idade, cuja colocação exija a realização de procedimento cirúrgico, por exemplo.

Basta o profissional responsável deve determinar as características das órteses, próteses e materiais especiais e justificar clinicamente a sua indicação.

A ANS orienta ainda que sejam oferecidas pelo menos três marcas de produtos de fabricantes diferentes, regularizadas junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que atendam às características especificadas.

É sempre bom lembrar que materiais de origem estrangeira que possuem registro válido na Anvisa são considerados nacionalizados e, por este motivo, contam com cobertura pelos planos de saúde.

Dessa forma, os usuários encontram excelentes profissionais e serviços mediante valores muito mais baixos do que nos serviços odontológicos particulares e com qualidade bastante superior à oferecida pela rede pública.

Saúde bucal deve receber atenção redobrada desde a primeira infância

Por outro lado, quem pensa que os pequenos não precisam de plano odontológico infantil não sabe a oportunidade que está deixando de oferecer às suas crianças.

A saúde bucal dos filhotes merece atenção redobrada desde a primeira infância, já que tanto a gengiva dos bebês como os primeiros dentinhos devem ser bem cuidados.

Dessa forma você está garantindo um adulto com dentes mais bem tratados e hábitos de higiene mais enraizados no dia a dia.

(Fontes: Portal AZ, ANS, G1, Poder 360)

Venha conhecer um pouco mais sobre os planos odontológicos e descubra porque ganham mais adeptos a cada dia.

Faça um orçamento sem compromisso e converse com um dos nossos vendedores. 

 

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: