fbpx
Ir para o conteúdo
Saúde

Saiba o que são doenças ocupacionais e como evitá-las

Leitura: 7 min
423 visualizações

A preocupação com a saúde física e mental do trabalhador dentro e fora do ambiente de trabalho é uma tendência mundial crescente, diretamente relacionada à produtividade. A prevenção das doenças ocupacionais, portanto, é tão importante quanto a geração de recursos para a sua cura, quando já instalada.

Das fábricas aos escritórios, em todas as áreas de atuação, elas estão relacionadas às funções exigidas por profissão, seja em função de esforços repetitivos, esforço físico constante e exagerado, ou exposição a agentes e produtos químicos.

Como patologia desenvolvida a longo prazo, as doenças ocupacionais provocam danos constantes, e tanto podem ser prevenidas como tratadas através dos planos de saúde. Conheça algumas delas e veja como evitá-las.

Doenças ocupacionais respiratórias

Asma Ocupacional

A inalação constante de partículas de materiais residuais provoca tosse seca crônica em seu estágio inicial, passando a chiado no peito e falta de ar que pode levar a paradas respiratórias e até câncer de pulmão nos casos mais avançados e sem tratamento. Comum entre quem trabalha com poeiras de algodão, linho, borracha, couro, madeira, etc.

É reversível, principalmente quando diagnosticada precocemente, e seus sintomas podem aparecer no local da exposição ou após algumas horas.

Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem nos finais de semana ou em períodos de férias ou afastamentos.

Antracose

Muito parecida com a asma ocupacional, só que causada especificamente pelo acúmulo de  poeira de carvão no tecido pulmonar.

Silenciosa, a antracose pode permanecer por anos sem manifestar nenhum sintoma. Em suas fases mais avançadas pode desencadear fibrose pulmonar, um tipo de cicatrização no pulmão que o deixa mais rígido e espesso, dificultando a respiração.

Como evitar

A melhor forma de evitar as doenças ocupacionais respiratórias é através do uso de equipamentos de segurança adequados, como máscaras e filtros que impedem que as partículas danosas cheguem ao organismo.

Também é recomendado evitar longos períodos de exposição, mesmo com máscara: intercale 4 horas de trabalho com outras atividades que propiciem descanso às vias aéreas.

Doenças ocupacionais auditivas

Pair – Perda Auditiva Induzida por Ruído

Decorrente da exposição frequente a níveis elevados de ruído, além da perda auditiva, há o desenvolvimento de ansiedade, irritabilidade, aumento da pressão arterial e até isolamento.

A Pair não atrapalha apenas a vida profissional, mas leva ao comprometimento também das relações sociais do indivíduo, tanto na família quanto no trabalho e na sociedade.

Ela pode ocorrer em áreas como construção civil e metalurgia, como em ambientes onde há barulho constante de vozes, como professores e operadores de telemarketing.

Silenciosa, geralmente a pessoa só presta atenção que não está ouvindo bem quando o dano já é avançado.

Como evitar

Usar protetores auriculares, que minimizam quase que totalmente o impacto dos ruídos. Também é indicado intercalar o trabalho com funções que propiciem silêncio.

Doenças ocasionais por repetição

LER e Dort

A Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort) são lesões adquiridas exclusivamente por causa da rotina no trabalho, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com trabalho muscular parado, sobrecarga mental, posturas prolongadas, ritmo intenso de trabalho, pressão por produção, relações conflituosas e estímulo à competitividade. Atinge homens, mulheres e adolescentes, podendo incapacitá-los parcial ou totalmente.

Os principais sintomas são dor crônica, sensação de formigamento, dormência e fadiga muscular, devido a alterações dos tendões, musculatura e nervos periféricos.

Muitas vezes provocam dores e desconforto local, que costumam ser confundidos com “mau jeito” e não são tratados com seriedade.

Como evitar

Evitar ficar longos períodos desempenhando uma mesma função, dando folga para a musculatura sobrecarregada: levante-se, alongue o corpo, caminhe, exercite a musculatura que fica mais tempo em repouso.

Incorpore a ergonomia à sua rotina de trabalho, ajustando a altura da cadeira, do monitor do computador, dando apoio para os pés, etc. Procure um médico do plano de saúde assim que começar a sentir qualquer sintoma.

Doenças ocupacionais de visão

Catarata

Geralmente relacionada aos idosos. Muitas vezes, a catarata é causada pela função desempenhada profissionalmente.

Altas temperaturas, por exemplo, podem lesionar o cristalino, causando a sensação de visão embaçada, dificuldade para identificar cores e maior sensibilidade à luz, podendo, inclusive, levar à cegueira. A catarata é a maior causa de cegueira (reversível) no mundo.

Como evitar

Principalmente metalúrgicos e siderúrgicos devem usar os óculos de proteção durante todo o tempo em que estiverem realizando suas atividades. A catarata não tem tratamento, mas tem cura através de cirurgia específica.

Doenças ocupacionais da pele

Câncer de pele

Tumores malignos podem surgir por conta da exposição exagerada ao sol, caso comum nas profissões ao ar livre, como agricultores, por exemplo. Os planos de saúde têm ampla cobertura para todos os tipos de câncer.

Dermatose ocupacional

Ocorre quando a pele entra em contato com substâncias que causam alergias recorrentes, deixando a pele escamosa e rígida, como graxa e óleo mecânico, por exemplo.

Como evitar

Usar roupa de proteção com mangas e calças compridas, roupas de borracha e chapéus, aplicar protetor solar com FPS mínimo de 30 e evitar a exposição ao sol entre 10h e 16h.

Plano de saúde ajuda a prevenir e a tratar as doenças ocupacionais

Você pode usar seu plano de saúde como aliado na prevenção, detecção precoce e tratamento das doenças ocupacionais.

Faça check-ups regulares e preste mais atenção a si mesmo: sempre que notar que alguma coisa está diferente marque uma consulta com um clínico geral, que poderá encaminhá-lo a um especialista.

Lembre-se que o melhor tratamento é a prevenção, e o diagnóstico precoce aumenta a assertividade de qualquer tratamento.

Se você ainda não tem um plano de saúde, não fique nas mãos do SUS: converse com um dos nossos vendedores especializados e descubra qual o plano que mais tem a ver com as suas necessidades e o seu bolso.

Denise
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Denise Huguet

Jornalista formada pela PUC-RJ com certificação pela Rockcontent em produção de conteúdo. Já fui repórter, redatora, editora, assessora de imprensa e apresentadora de telejornal com passagens por jornais como O Globo, O Fluminense, A Tribuna e várias instituições de pesquisa e ensino. Desde 2010 me dedico integralmente à produção de conteúdo. Portfólio: https://denisehuguet.wixsite.com/dhcomunicacao

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: