Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Renda familiar: Posso pagar o plano de saúde?

Leitura: 7 min
4591 visualizações

Quanto eu posso gastar com o plano? A escolha do plano de saúde vai depender se o valor do convênio cabe em sua renda mensal.

Um atendimento médico de qualidade é direito de todo cidadão. O ideal seria que toda pessoa pudesse usufruir gratuitamente dos serviços médicos, mas isso não corresponde à realidade.

Para os indivíduos que não possuem renda suficiente para pagar o plano de saúde, resta a rede pública, com suas dificuldades para atender grande parte da população.

O pagamento mensal de um plano de saúde pode ser muito pesado para as pessoas que usufruem dos convênios médicos.

Quais são os tipos de plano de saúde que existem?

Existem cinco possibilidades de cobertura:
– Ambulatorial;
– Hospitalar (com ou sem obstetrícia);
– Referência;
– Odontológico.

Cada classificação define os serviços na qual o contratante tem direito, como consultas, exames e tratamentos, além de acomodação e internação. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) garante um atendimento mínimo conforme o tipo do seu plano.

Economizar nos planos

O plano empresarial é uma ótima opção para quem quer economizar, pois abrange os demais membros da família, além de você pagar uma taxa reduzida.

Caso a empresa não ofereça o convênio, o plano familiar é mais barato, pois há um desconto quando dois ou mais indivíduos pagam.

Se não houver solução, procure um plano individual que melhor atenda às suas necessidades.

Motivos para contratar um plano

Maior segurança e qualidade

O primeiro dos benefícios importantes de se ter um convênio de saúde é a segurança por saber que se porventura você ou seus familiares precisarem de um atendimento médico, receberão o melhor possível, sem ter que esperar por horas. Esse sentimento de segurança proporciona um imenso ganho na qualidade de vida.

Expectativa de vida

Tendo boas condições de manter uma saúde em dia, viver mais se torna apenas uma consequência. Além disso, a contratação do serviço garante muito mais tranquilidade ao saber que se alguma doença aparecer, você receberá um atendimento digno.

Coberturas nacionais

Vale a pena investir em um plano com cobertura nacional. Caso viaje muito, estará sempre tranquilo sabendo que esteja onde estiver, se algum acidente acontecer, você será atendido como merece.

Adoecer com menor frequência

Pode parecer contraditório, mas sim, quem conta com um convênio de saúde, possui mais facilidades em agendar consultas de rotinas. Conseguindo assim focar na saúde preventiva evitando doenças mais graves.

Rapidez para marcar exames

O mesmo vale para os exames médicos, quando se conta com um bom convênio de saúde, conseguir agendar e realizar um exame, por mais específico e/ou detalhado que ele seja, é muito mais fácil e rápido do que quando se conta apenas com o SUS.

Facilidade em consultas

Quando se depende do sistema único de saúde, muitas vezes existem listas de espera de meses para conseguir uma consulta médica. Quando você possui um convênio de saúde, é muito mais rápido e simples conseguir se consultar com um médico

Como funciona o reajuste das mensalidades?

Os planos de saúde individuais ou familiares só podem ser reajustados de duas maneiras: 

  • De acordo com o reajuste anual, definido pela ANS, na data de aniversário do convênio; 
  • De acordo com o reajuste por mudança de faixa etária. 

Em relação ao segundo item, solicite a empresa que vende o plano de saúde os valores das mensalidades de todas as faixas etárias, desse modo você conseguirá ter alguma ideia desses valores. O primeiro reajuste por mudança de faixa etária acontece aos 19 anos de idade. Após isso, ele ocorre de 5 em 5 anos, sendo o último reajuste, aos 59 anos de idade.

O que o alguns planos de saúde não cobrem?

Os planos de saúde não podem negar a realização de um exame, especialmente se ele for solicitado por um médico, a fim de definir um diagnóstico médico.

Além de fiscalizar e regulamentar todo o setor, apenas a ANS pode e permitir exclusões de tratamentos e exames de acordo com a legislação, exclusões essas que inicialmente são situações como apenas como as seguir:

  • -Tratamento clínico ou cirúrgico experimental;
  • -Procedimentos clínicos ou cirúrgicos para fins estéticos;
  • -Órteses e próteses com foco na estética;
  • -Inseminação artificial;
  • -Tratamento de rejuvenescimento;
  • -Tratamento de emagrecimento com finalidade estética;
  • -Fornecimento de medicamentos importados não-nacionalizados.

Esses são apenas alguns exemplos dos procedimentos e situações que podem ser negados pelos planos de saúde, segundo as regras impostas pela ANS.

Como os idosos podem economizar

Algumas medidas para economizar com planos de saúde na aposentadoria são:

  • Contratar o plano de saúde assim que comece a trabalhar;
  • Quem teve um plano coletivo por no mínimo dez anos, pode mantê-lo quando se aposentar, desde que assuma o pagamento integral;
  • Quem teve um plano coletivo por um período inferior a dez anos, pode mantê-lo pagando o mesmo valor pelo número de anos de contratação do convênio.

O ideal é que os gastos com a saúde não ultrapassem 10% da renda mensal do indivíduo.

Conclusão: Renda familiar

É hora de saber quanto da renda familiar pode ser destinada à saúde.

Quanto eu posso gastar com o plano de saúde? Dependendo do seu orçamento, você saberá se haverá condição de pagar um plano regional, nacional, integral ou participativo.

Caso deseje mais informações, confira o artigo “Escolhendo um plano de saúde dentro do seu orçamento”.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: