Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Planos de saúde cobrem tratamento com psiquiatra?

Leitura: 7 min
13914 visualizações

A imagem lá fora é de alegria, felicidade, festa eterna, mas de perto, a realidade é outra: o Brasil tem cerca de 13 milhões de pessoas sobre com depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta ainda que 75% das pessoas com depressão não recebem tratamento com psiquiatra adequado.

Em todo o mundo, elas já são mais de 340 milhões de pessoas, com nada menos que 850 mil suicídios por ano — 1 a cada 40 segundos. Por aqui, em apenas 16 anos (entre 1996 e 2012), a taxa de suicídios por depressão aumentou 705%, segundo levantamento do jornal O Estado de São Paulo com base nos índices da Datasus.

A depressão, no entanto, é apenas um dos muitos transtornos mentais que atingem grande parte da população. A legislação brasileira, garantirá o tratamento pelos planos de saúde, incluindo o tratamento com psiquiatra em seu rol de procedimentos obrigatórios determinados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Legislação garante cobertura dos serviços relacionados à Psiquiatria. 

Todos os transtornos mentais listados na Classificação Internacional de Doenças (CID), inclusive os relacionados à intoxicação ou abstinência causados por substâncias químicas, como álcool e drogas, têm sua cobertura pelos planos de saúde garantida por lei.

A legislação prevê também a cobertura de consultas e tratamento com psiquiatra ilimitado, internação psiquiátrica hospitalar também em número ilimitado, exames laboratoriais diagnósticos, e hospital-dia, além de lesões decorrentes de tentativas de suicídio e emergências decorrentes de qualquer transtorno mental.

A ANS dispõe, no entanto, em seu artigo 10 do Capítulo II da RMN 387/2015, que “a atenção prestada aos portadores de transtornos mentais deverá priorizar o atendimento ambulatorial e em consultórios, utilizando a internação psiquiátrica apenas como último recurso terapêutico e sempre que houver indicação do médico assistente”.

A RN ressalta ainda, em seu artigo 22 da subseção III, que quando houver previsão de mecanismos financeiros de regulação disposto em contrato para internação hospitalar, o referido aplica-se a todas as especialidades médicas, contudo a  coparticipação nas hipóteses de internações psiquiátricas somente poderá ser exigida considerando os seguintes termos, que deverão ser previstos em contrato:

a) somente haverá fator moderador quando ultrapassados 30 dias de internação contínuos ou não, nos 12 meses de vigência; e

b) a coparticipação poderá ser crescente ou não, estando limitada ao máximo de 50% do valor contratado entre a operadora de planos privados de assistência à saúde e o respectivo prestador de serviços de saúde.

É importante também ressaltar que, para se destacarem de suas concorrentes, algumas operadoras incluem procedimentos  e tratamento com psiquiatra diferenciados nas modalidades de planos especiais. Por isso, é importante pesquisar bem os serviços oferecidos antes de contratar um plano de saúde.

Qual é o mais indicado para você: psicólogo ou Psiquiatra?

Ambos são profissionais qualificados para cuidar da saúde mental e emocional de umas pessoas, porém há uma diferença de como ambas as áreas atuam e a diferença principal está na formação acadêmica dos profissionais.

Psicólogos

Os psicólogos possuem graduação em Psicologia, e seu estudo abrange a mente e o comportamento humano. A área possui amplo treinamento voltado às terapias e aconselhamento.

Os psicólogos analisam de perto o comportamento do seu paciente e são treinados para investigar e monitorar os padrões de sono, hábitos alimentares e pensamentos negativos que causam ou contribuem para a existência da condição.

Psiquiatras

Psiquiatras possuem graduação em Medicina e depois mais dois ou três anos em residência de Psiquiatria. O estudo da psiquiatria é voltado às condições mentais patológicas, adquiridas ou hereditárias. Os psiquiatras possuem um maior senso de biologia, neurologia e química cerebral. Neste caso os diagnósticos são realizados a partir do método de exclusão.

Uma das principais diferenças entre psicólogos e psiquiatras é: os psiquiatras são habilitados a prescrever medicação e outros tratamentos mais invasivos, enquanto os psicólogos não podem prescrever medicamentos aos seus pacientes. Geralmente, tratamento com psiquiatra é coberto pelos planos de saúde.

Conheça os 16 transtornos mais comuns! 

As psicopatologias afetam um número imenso de pessoas em todo o mundo, no Brasil 1 a cada 3 adolescentes sofre de algum tipo de Transtorno Mental Comum (TMC), que se não tratado pode evoluir para distúrbios mentais mais sérios, segundo o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica). Com número tão alarmantemente grandes, se faz cada mais necessário que absolutamente todos os planos de saúde possuam tratamento com psiquiatra.

Em todo o mundo, os transtornos mentais afetam mais de 400 milhões de pessoas, 23 milhões no Brasil, pelos dados da OMS. Conheça os mais comuns entre eles.

  • Transtornos de Ansiedade — Síndrome do Pânico, Fobia Social, Agorafobia (medo irracional de espaços abertos), Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), Transtorno da Ansiedade Generalizada.
  • Transtornos de Humor — Transtorno Bipolar, Transtorno Depressivo (depressão).
  • Transtornos Alimentares — Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa, Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica.
  • Transtornos Psicóticos — Transtorno Delirante, Esquizofrenia.
  • Transtornos da Personalidade — Borderline (TPB), de Personalidade Anti-Social (TPAS).

É muito importante ressaltar que, independente do transtorno, o tratamento com o psiquiatra é fundamental para a retomada da saúde mental e bem-estar do paciente. Somente esse médico poderá diagnosticar e conduzir o tratamento mais indicado para a cura ou estabilização do quadro.

Consulte seu vendedor do plano de saúde para sanar qualquer dúvida!

Todas as especificações, assim como tratamento com psiquiatra e outras especializações médicas, do seu plano de saúde devem constar do contrato assinado, mas em caso de dúvida pergunte ao corretor que o vendeu. Como especialista ele é a pessoa mais indicada para orientá-lo sobre todos os procedimentos e solicitações.

Assim, você tem a certeza de fazer valer seus direitos e ter a melhor assistência para você sua família.

Se ainda não tem um plano de saúde, não perca tempo. Faça uma cotação online, converse com um dos nossos vendedores e conquiste mais essa tranquilidade para quem você ama. 

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: