fbpx
Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Planos de Saúde cobrem Fisioterapia?

Leitura: 5 min
18605 visualizações

Se hoje depender da saúde pública é entregar a sua própria saúde nas mãos da sorte, por outro lado, o rol de procedimentos obrigatórios definidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a lista das coberturas de cada tipo de plano ainda geram muita confusão entre os usuários. Uma dessas grandes dúvidas é em relação à cobertura dos serviços de fisioterapia. Será que os planos de saúde cobrem as sessões? É o que você saberá neste artigo, veja só!

O que é fisioterapia?

É a ciência que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes com distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano. Trabalha com doenças geradas por alterações genéticas, traumas ou enfermidades adquiridas.
O objetivo desta área é preservar, manter, desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistemas ou funções. Utiliza-se de conhecimento e recursos próprios como parte do processo terapêutico nas condições psico-físico-social para promover melhoria de qualidade de vida.

Fundamenta ações em mecanismos terapêuticos sistematizados pelos estudos das ciências morfológicas, fisiológicas, patológicas, bioquímica, biofísica, biomecânica, cinesia, sinergia funcional, cinesia patologia de órgãos e sistemas do corpo humano. Além das disciplinas comportamentais e sociais.

A maravilha da Fisioterapia

Largamente utilizada e com aplicações variadas, a fisioterapia colabora para a recuperação de acidentados, trata problemas causados por má formações, vícios de postura, restaura, desenvolve e mantém a capacidade física e funcional do paciente. Além disso, ajuda na recuperação de lesões neurológicas, cardíacas ou respiratórias em idosos, adultos, crianças e pessoas em geral com diversas deficiências físicas ou mentais. Não é à-toa, portanto, que ela é um dos serviços mais procurados pela saúde particular, cuja rede credenciada por constituir-se um importante diferencial para os beneficiários que dela se utilizam.

Consultas e sessões de Fisioterapia têm coberturas diferentes.

No entanto,  é importante perceber a diferença entre consultas com fisioterapeuta e sessões de fisioterapia. A quantidade das consultas foram alteradas pela revisão do rol de procedimentos obrigatórios da ANS, em outubro de 2015 — quando passaram de uma para duas consultas por ano para cada nova doença diagnosticada.

Já as sessões, devem ser ilimitadas, respeitando, claro, a quantidade definida pelo médico especialista. No entanto, elas precisam ser indicadas pelo médico, não basta simplesmente querer fazer.

Atenção aos planos antigos!

É importante também ficar atento à data de contratação dos planos de saúde, porque as novas regras são válidas apenas para os firmados após 1999 ou os que foram adaptados à Lei dos Planos de Saúde (Lei 9656/1988).

Os que foram contratados anteriormente a esta data normalmente tem a cobertura ao plano fisioterápico negada. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) entende, no entanto, sendo dever da empresa de assistência à saúde garantir o tratamento com base no parágrafo 1.º, incisos I a III do Código de Defesa do Consumidor.

Dicas para a hora de contratar o plano.

Fique de olho na delimitação do tipo de cobertura do plano de saúde. Dependendo da modalidade, a cobertura pode não ser a que você espera, por isso é importante ter um atendimento personalizado com um vendedor especializado no ramo. Para os planos ambulatoriais, por exemplo, há a garantia de atendimento apenas para consultas e exames, enquanto para o plano hospitalar oferece atendimento apenas de cirurgias e internações.

Por outro lado, tratamentos clínicos ou cirúrgicos experimentais, tratamentos com finalidade estética, órteses e próteses sem ligação a uma cirurgia, medicamentos importados que ainda não foram nacionalizados e até atendimentos relacionados a guerras ou catástrofes estão fora da cobertura dos planos de saúde individuais, coletivos, familiares ou empresariais.

médico fazendo fisioterapia em mulher

Pense bem sobre quais são as suas necessidades e prioridades e procure o plano que mais se encaixe nelas. Claro que o valor pago é importante e deve ser considerado, mas preste muita atenção na cobertura oferecida, porque um plano muito barato, que não atenda às suas precisões, pode acabar sendo dinheiro jogado fora.

Faça um orçamento sem compromisso e analise com um vendedor as melhores opções para a sua região. Clique aqui e solicite uma tabela de preços.

Entenda qual é o melhor plano de saúde para você (e para o seu bolso!)

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: