Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Existe um Plano de saúde mais em conta?

Leitura: 9 min
606 visualizações

Há muitas opções de Plano de Saúde Mais em Conta no Brasil, pois as operadoras de saúde tendem a visar diversos tipos e escopos de planos para atender a todas as classes sociais. 

Quando for procurar por um, tenha em mente todas as coberturas que gostaria de receber de um plano – como locais de atendimento, especialidades disponíveis e tratamentos inclusos. Além disso, preste atenção na modalidade do plano e compare os preços com outras operadoras!

Nesse texto, apresentaremos informações sobre o Plano de Saúde Mais em Conta, além de falar um pouco mais sobre simuladores e planos de saúde.

FAÇA SUA COTAÇÃO ONLINE E GRATUITAMENTE!

Como fazer a escolha de um Plano de Saúde Mais em Conta?

Separamos algumas dicas importantes para você considerar ao procurar por um plano de saúde que caiba no seu bolso:

Pesquisa todas as operadoras da sua região!

Os planos de saúde são produtos que exigem uma certa atenção e tempo de pesquisa antes da contratação, mas pela importância que ele terá na sua vida, garantimos que essa dedicação vale muito a pena para encontrar um plano de saúde barato. Diferentes operadoras podem oferecer o mesmo tipo de serviço por preços bem diferentes.

Para ter mais segurança, procure saber mais sobre as operadoras por meio dos sites oficiais, mas não esqueça de levar em consideração as opiniões das pessoas que contrataram os planos, olhando em lugares como o Reclame Aqui e o site da ANS.

Uma maneira de filtrar as melhores operadoras é conversar com pessoas conhecidas que já possuem plano de saúde. Pergunte se ela está satisfeito com a rede credenciada e como tem sido a experiência. O boca a boca pode fazer muita diferença na hora de escolher a melhor opção de plano para você.

Considere todos os seus custos!

Se você quer economizar com um plano de saúde ou um Plano de Saúde Mais em Conta, é crucial saber o quanto você está disposto a investir. Delimite um valor realista sobre o quanto você pretende e pode gastar sem comprometer o seu orçamento mensal.

Outra dica é tentar mensurar os seus gastos mensais com procedimentos relacionados à saúde. Colocar tudo isso no papel pode deixar mais claro qual é o seu perfil de gastos com saúde, ajudando a escolher um plano de acordo com o seu perfil.

Quais coberturas e serviços procura!

Para ter um plano de saúde barato, é preciso estar atento a quais tipos de serviço você realmente precisa ter acesso. Homens não precisam de serviços de obstetrícia, por exemplo, o que torna os planos mais em conta. Ao mesmo tempo, se você frequenta apenas os hospitais próximos à sua casa e raramente viaja para fora do país, dificilmente irá utilizar a assistência internacional.

É comum que planos premium oferecem serviços diferenciados que podem encher os olhos de qualquer um, mas isso também eleva bastante o valor da contratação. Se o seu objetivo é contratar um plano de saúde barato, foque no custo-benefício, separe todos os planos cujos serviços são de seu interesse e organize do maior para o menor preço.

Liste todas as suas principais necessidades!

Agora é a hora de pensar quais serviços são indispensáveis para você, mas seja realista. Se algo em particular te chamar atenção, mas você simplesmente não utiliza, talvez seja melhor deixar de fora da lista. 

Para ajudar, faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  • Quais hospitais eu sempre vou?
  • Tenho alguma condição médica que exige acompanhamento?
  • Com qual frequência eu vou ao médico?
  • Vou incluir dependentes no meu plano?
  • Os dependentes do meu plano necessitam de cuidados especiais (crianças, idosos etc)?
  • Minha família tem histórico de alguma doença específica?
  • Eu viajo muito e preciso de assistência em outros estados ou até mesmo no exterior?

Não esqueça de observar os detalhes!

Agora é a hora de decidir os detalhes, sendo que cada escolha pode ter influência direta no preço. A coparticipação também reduz o valor das mensalidades, porém só funciona para aqueles que não têm uma utilização tão frequente do plano, visto que é necessário contribuir com uma porcentagem das consultas. Basicamente, estes são os pontos principais com influência no preço aos quais você deve se atentar.

  • Modalidade: individual, adesão ou empresarial;
  • Acomodação: familiar ou individual;
  • Coparticipação: pagar uma mensalidade fixa ou contribuir com uma porcentagem das consultas;
  • Cobertura: regional, nacional, internacional;
  • Tipo de plano: ambulatorial ou hospitalar;
  • Acréscimos: com ou sem obstetrícia.

PROCURE O PLANO DE SAÚDE QUE MAIS SE ADEQUA A VOCÊ!

Já tenho um plano de saúde, como posso reduzir os custos dele?

Às vezes, você consegue baratear o seu plano de saúde atual, caso você tenha um, antes de cancelá-lo e procurar por outro plano. Algumas dicas que podem deixar um plano de saúde barato, são:

Analisando seu plano de saúde atual

Se ainda assim você preferir ficar na sua operadora atual, saiba que pode escolher por um Plano de Saúde Mais em Conta – que são os mais básicos e que são, por consequência, mais baratos. Primeiramente, veja quais hospitais e laboratórios da sua rede credenciada você realmente utiliza. As opções regionais, que contemplam os hospitais mais próximos à você, tendem a ter preços mais baixos.

Muitas vezes, os planos de saúde oferecem serviços extras que também deixam o valor final mais alto, por isso, vale a pena verificar quais deles você realmente utiliza ou são imprescindíveis para o seu caso – às vezes, trocar por um que tenha apenas o que você realmente utiliza pode ser a melhor escolha.

Veja se a coparticipação é uma boa alternativa

Planos com coparticipação funcionam da seguinte maneira: as mensalidades são mais baratas, se comparadas com o mesmo plano sem coparticipação, porém o beneficiário contribui com uma porcentagem em cada procedimento realizado. Essa porcentagem é definida em contrato e existe um teto do quanto o cliente pode pagar.

Se você utiliza o seu plano de saúde apenas para exames e consultas esporádicas e de rotina, esta pode ser uma boa saída para baratear os custos. Mas, se você utiliza muito o seu plano, esta pode não ser a melhor opção.

Repense as acomodações

Durante a contratação, você deve decidir o tipo de acomodação em caso de internação, tendo as opções de enfermaria e apartamento. Se optar por enfermaria, você irá dividir o quarto com até mais duas pessoas do mesmo sexo. Caso escolha a acomodação apartamento, terá um quarto individual e horários mais flexíveis para visitas.

Apesar de ser mais confortável, o quarto individual deixa os valores dos planos um pouco mais altos. Se esta é a sua opção de acomodação atual e você pretende cortar os gastos com plano, considere mudar para um quarto compartilhado.

Planos coletivos

Planos empresariais ou coletivos, ou seja, aqueles que são contratados por um CNPJ, chegam a ser até 35% mais baratos que os planos individuais (aqueles contratados por CPF). Muitos acreditam que, pela denominação, podem ser contratados por empresas, mas também são comercializados para grupos familiares, pois basta ter um CNPJ ou MEI.

Tudo o que você precisa é ter um CNPJ (pode ser um MEI) e um número mínimo de pessoas que irão ingressar no plano. As operadoras exigem um mínimo de 2 beneficiários para a contratação, enquanto as seguradoras costumam exigir no mínimo 3.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: