fbpx
Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Plano de saúde individual: o que precisa saber!

Leitura: 6 min
499 visualizações

Dentro das propostas de plano de saúde individual existem uma grande variedade de tipos, taxas, coberturas e adicionais oferecidos – e é fundamental conhecer bem a operadora antes de contratá-la. Para isso, é necessário pesquisar e comparar diferentes planos até encontrar o que se adeque melhor a sua necessidade. 

 

Como funciona o plano de saúde individual?

O funcionamento é bem simples. Após contratar um plano de saúde individual, você terá disponível uma ampla rede qualificada de diversos serviços relacionados à saúde. Ou seja, você poderá consultar médicos, fazer exames em laboratórios, frequentar clínicas e hospitais sem se preocupar com o preço, desde que estejam em seu plano de saúde.

Frequentando essa rede, o seu pagamento é feito automaticamente pelo seu operador de seu plano médico. Ou seja, você autoriza o seu operador a pagar para si as despesas médicas que for frequentar.

 

Fatores que influenciam no valor 

Um dos fatores principais, e que principalmente influencia no valor de um plano de saúde individual, é em questão sobre a quantidade de serviços que o plano de saúde dá direito ao beneficiário. Por exemplo, um plano de saúde que apenas inclua consultas e exames normalmente (e tendencialmente) é mais barato que outro que também ofereça junto tratamentos odontológicos e o direito à internação hospitalar emergencial. 

Outra condição importante a se destacar, é que, o plano que só concede direito ao atendimento na cidade em que você mora tende a ser mais barato do que outro que permita que você seja atendido em qualquer lugar do país. 

A idade do beneficiário, também é destacada como um fator muito significativo e que influencia diretamente no preço de um plano de saúde. Quanto mais idoso o beneficiário for, maiores são as chances de que ele precise usar os serviços de saúde com mais frequência, e por isso, as operadoras tendem aumentar com o valor do plano.

 

O que devo considerar antes de contratar um plano de saúde?

Há vários passos antes de conferir o melhor plano de saúde individual e contratar uma seguradora:

Analisar seu estado de saúde e da sua família (em casos de planos familiares)

Conhecer o próprio organismo e o histórico familiar de doenças e da sua família também, caso você contrate para a sua família também.

Desta maneira, é possível definir qual é objetivo ao adquirir o plano de saúde. Há diversas formas de se contratar um seguro e a pessoa precisa ficar atenta para não escolher um que não a atenda direito.

Cobertura do plano

É sempre importante verificar quais são os hospitais e clínicas incluídos, ou seja, se a rede credenciada é ampla, se inclui pronto-socorros, se apresenta a possibilidade de internações.

Com isso em mãos, dá para fazer uma avaliação no quesito qualidade. Também é importante se informar sobre os tipos de coberturas hospitalares, internação com o número de diárias, se abrange exames complementares em caso de internação, quais são os melhores hospitais e se eles estão dentro da cobertura.

Vale se informar, também, sobre o tipo de acomodação nos quartos de hospitais, em caso de internação. Em alguns casos, dependendo do plano, o paciente deverá ficar em quartos coletivos, enquanto em outros há a opção pelo quarto privativo e com mais comodidade.

Confira a seriedade da operadora

Quando fizer as cotações, consulte se a empresa que faz a venda é confiável. Basta saber o registro que ela tem na ANS, o nome e o CNPJ.

Pergunte sobre os períodos de carência

Quando você contrata o plano, normalmente precisa esperar antes de usar todos os serviços (isso chama carência). Por lei, você deve esperar até 24 horas para usar o plano nos casos de emergência –  e talvez encontre um prazo máximo de seis meses para consultas, internações e cirurgias. Sempre pergunte sobre a carência para a operadora antes de selecionar o produto.

 

O que o plano de saúde não cobre?

Os planos de saúde não podem negar a realização de um exame, especialmente se ele for solicitado por um médico.

Além de fiscalizar e regulamentar todo o setor. Apenas a ANS pode permitir exclusões de tratamentos e exames de acordo com a legislação, exclusões essas que inicialmente são situações como apenas como as seguir:

  • Tratamento clínico ou cirúrgico experimental;
  • Procedimentos clínicos ou cirúrgicos para fins estéticos;
  • Órteses e próteses com foco na estética;
  • Inseminação artificial;
  • Tratamento de rejuvenescimento;
  • Tratamento de emagrecimento com finalidade estética;
  • Fornecimento de medicamentos importados não-nacionalizados.

Esses são apenas alguns exemplos dos procedimentos e situações que podem ser negados pelos planos de saúde, segundo as regras impostas pela ANS.

 

Entenda qual é o melhor plano de saúde para você (e para o seu bolso!)

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: