fbpx
Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

O que faz o plano de saúde para idosos ser tão caro?

Entenda mais sobre o assunto!

Leitura: 8 min
97 visualizações

 

A forma mais adequada e segura de se garantir uma vida com qualidade para você ou um ente querido que já está na terceira idade, é contratando um plano de saúde para idosos. Devido a uma fragilidade maior com a saúde, — que vem junto com a idade — torna-se necessário ter acesso a serviços médicos para se ter cuidados extras e periódicos com a saúde.

Mesmo você tendo a disposição uma série de serviços médicos — e vantagens a mais, que o sistema público não consegue oferecer —, contratar um plano de saúde para determinadas faixas etárias (principalmente paras as mais avançadas) pode fazer com que muitas pessoas se desencorajam de obter o seguro por acharem que os valores são elevados demais.  

Esta é uma realidade, os planos de saúde aumentam com seus valores de acordo com o avançar da idade. 

 

Escolhendo um plano de saúde para idosos

Quando você for escolher um bom plano de saúde para idosos é preciso ter dois objetivos principais: 

  1. Fazer uma escolha que atenda às suas necessidades; 
  2. Entender que é importante ter orçamento adequado para que você possa pagá-lo todo mês. 

Em relação à primeira questão, veja qual é a rede credenciada que você prefere, bem como os serviços que você poderá usufruir e que são essenciais para você. 

Para baratear os custos, você pode fazer uma boa pesquisa para entender qual a melhor opção do mercado para o seu caso. Além disso, existem algumas escolhas que você pode fazer, que influenciam diretamente no valor do plano de saúde, como optar por uma acomodação compartilhada ao invés de uma particular. Para os idosos, por serem um público que utiliza muito o plano, é recomendável fazer uma contratação sem coparticipação.

 

Os motivos dos planos de saúde para idosos serem mais caros

Quando o cálculo do valor de um plano de saúde ocorre, a operadora levará em consideração alguns fatores. Dentre eles, estão: 

  • A área da rede credenciada; 
  • O número de serviços oferecidos; 
  • Tipo(s) de acomodação;
  • Opção de coparticipação.

Além dos fatores acima, outro que é muito decisivo na hora de se propor um valor, é a estimativa de utilização. É esperado que uma pessoa acima de 59 anos utilize mais seu plano e realize procedimentos de complexidade alta, e é devido a isso que o plano de saúde para idosos possui um valor mais elevado em relação aos demais.

 

Entendendo o mecanismo de reajuste nos planos de saúde para idosos

Em sumo, o segurado terá dois tipos de reajuste em seu plano de saúde: o anual, que ocorre em cada aniversário do contrato, e outro que é relacionado a mudança de sua faixa etária. 

Os grupos de idade são definidos pela ANS, e permitem que na mudança de um grupo para outro, a operadora possa modificar o valor dos planos contratados em questão.

Ao todo, existem 10 faixas etárias divididas em:

  • 0-18 anos;
  • 19-23 anos;
  • 24-28 anos;
  • 29-33 anos;
  • 34-38 anos;
  • 54-58 anos;
  • 59 anos ou mais.

A partir de 59 anos, não será mais aplicado o reajuste por mudança de faixa etária, porém permanece aquele que é aplicado anualmente no aniversário de contrato. 

O reajuste por faixa etária, necessita a sua atenção e avaliação na hora da contratação do plano de saúde: todos os percentuais de variação devem estar explícitos em contrato e o valor da última faixa etária deve ser menor que o valor da primeira multiplicada por 6

Caso algum reajuste seja aplicado de forma injusta, não hesite em relatar à sua operadora ou a ANS.

 

A cobertura do plano de saúde para idosos

A “cobertura” é definida como o conjunto de procedimentos que são contemplados em um plano de saúde, sem o acréscimo de custos ou pagamentos adicionais. 

Os planos de saúde são muito distintos entre si e abordam coberturas diferentes, podendo incluir:

  • Consultas;
  • Exames;
  • Internações hospitalares;
  • Procedimentos cirúrgicos;
  • Tratamentos médicos (como quimioterapia e hemodiálise);
  • Acompanhamento obstétrico e partos.

Fato interessante a ressaltar, é que lista de procedimentos obrigatórios é regulamentada pela ANS (Agência Nacional de Saúde), e o nome oficial desta lista é “Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde”. Você pode acessá-la no site oficial da ANS e fazer consultas gratuitamente. A cada dois anos a lista é atualizada, a fim de melhorar com o atendimento que está sendo prestado aos segurados, e fazer com que o consumidor fiquem empoderado quanto às escolhas que pode fazer no momento da contratação ou troca de um plano de saúde.

Ademais, também é preciso dizer que existem regras básicas em todo o plano de saúde — e que influenciam diretamentamente na cobertura de serviços que são oferecidos dependendo do tipo de seguro saúde contratado.

Por exemplo, caso um segurado precise ser internado, e no momento da internação a pessoa tiver cobertura a enfermaria e o hospital não dispor de leitos para esse tipo de paciente, a pessoa deverá ser internada em um apartamento privativo e não deverá pagar a mais por estar internado no apartamento privado.

Outro ponto que deve ser levado em consideração, é que caso você seja atendido por um profissional de saúde de sua confiança ou se você realiza exames em um determinado laboratório, é preciso saber tal profissional ou laboratório seja credenciado pelo seu plano de saúde. 

No caso do plano de saúde para idosos, o ponto destacado acima deve ser muito refletido, pois se o plano de saúde descredenciar um laboratório ou profissional da sua rede de serviços e atendimentos, é dever da empresa contratada oferecer profissionais (e laboratórios) com a mesma formação ou que realizem os mesmos serviços anteriormente prestados ao segurado.

 

Com um plano de saúde para idosos você tem mais segurança e agilidade no atendimento

A rede pública de saúde ainda é insuficiente para atender a toda população, pois a demanda de pessoas que necessitam de seus serviços é muito maior do que sua estrutura pode suportar.

É fácil ver reportagens noticiando que em diversos centros de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) existem longas filas para realizar desde cirurgias à realização de exames e consultas com especialistas, fazendo com que muitas pessoas tenham que esperar por muitos dias, e até mesmo meses, para serem atendidas. 

Em diversos casos, a espera pode ser extremamente prejudicial e para pessoas mais idosas ou com complicações médicas, as consequências tornam-se sérias. Por isso, o plano de saúde para idosos é tão importante! Ele assegura o atendimento em qualquer circunstância.

 

Entenda qual é o melhor plano de saúde para você (e para o seu bolso!)

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: