fbpx
Ir para o conteúdo
Cirurgia Planos de Saúde Sem categoria

O Plano de Saúde cobre Cirurgia Ortognática?

Já ouviu falar em cirurgia ortognática? Saiba mais sobre o procedimento, coberto pelo plano de saúde, e veja como ter mais qualidade de vida!

Leitura: 6 min
1540 visualizações

Que a beleza é um conceito muito pessoal, não resta dúvida. A questão é quando a falta de simetria influencia na qualidade de vida, como quando o queixo é muito para frente, muito para trás ou praticamente inexistente – como era o caso de Noel Rosa. Se fosse vivo, o cantor e compositor seria um excelente candidato à cirurgia ortognática, que tem cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

cirurgia ortognática

Cirurgia ortognática devolve a qualidade de vida e a autoestima

O desencontro das arcadas dentárias e a articulação insuficiente faziam com que Noel Rosa tivesse vergonha de comer em público. Por outro lado, o defeito forçava o músico a preferir alimentos líquidos, na época pouco nutritivos.

cirurgia ortognática
Noel Rosa – foto arte digital, por Luquefar

Assim como ele, hoje, milhões de pessoas no mundo têm perfil prognata ou retrognata, cujo tratamento é a cirurgia ortognática. O procedimento corrige as bases ósseas da maxila e da mandíbula tornando o perfil harmônico.

Com isso, o indivíduo ganha mais qualidade de vida, em relação à estética e à saúde, já que recupera a capacidade mastigatória. A cirurgia só deve ser realizada em hospital sob anestesia geral e tem cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

A Lei federal 9656, Súmula Normativa 11 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), garante a cobertura do procedimento, assim como a internação hospitalar e todos os materiais necessários, por todos os planos de saúde, convênios médicos ou cooperativas médicas.

Já os custos da equipe podem ser reembolsados em sua totalidade, de acordo com o tipo de contrato que tiver sido estabelecido.

Como saber se a cirurgia ortognática é necessária

A cirurgia ortognática é indicada nos casos em que há um desenvolvimento desigual das arcadas dentárias inferior e superior. Essa diferença, longe de ser um problema apenas estético, pode trazer sérias consequências para a saúde.

cirurgia ortognática

Alguns dos problemas mais comuns são dores nas articulações da face, dor de cabeça, dificuldade para fechar a boca, apneia do sono, ronco e dificuldades de mastigação – assim como desarmonia estética.

A idade ideal para realizar a cirurgia ortognática é após a fase de crescimento – entre os 80 ou 19 anos para homens e 16 ou 17 para mulheres.

O tratamento, no entanto, com a colocação de aparelhos ou outros procedimentos, deve ser iniciado ainda na infância. O quanto antes começar, menor as chances de necessidade de intervenção cirúrgica.

cirurgia ortognática

A cirurgia, por sua vez, é realizada totalmente dentro da boca, sem que haja qualquer cicatriz na face. Geralmente o paciente é liberado à noite ou na manhã seguinte ao procedimento.

Além da cirurgia em si, no entanto, o tratamento também pode incluir outros procedimentos. O mais comum é o uso de aparelho antes e durante a própria cirurgia, podendo ser retirado em até 6 meses.

Benefícios vão além da melhor mastigação

Como em qualquer procedimento invasivo, pode haver dor e desconforto após a cirurgia. É bom lembrar que a dor é uma reação normal a qualquer tipo de trauma.

O esqueleto da face é fixado em sua nova posição através de placas e parafusos de titânio. Com isso, evita-se a micromovimentação dos ossos, acelerando o tempo de recuperação.

No entanto, é comum ocorrer um forte inchaço do rosto, que começa a reduzir a partir do quarto dia. Técnicas de drenagem linfática e fisioterapia podem acelerar o processo e reduzir o desconforto. A ANS garante consultas fisioterápicas ilimitadas pelos planos de saúde, assim como a drenagem linfática que tiver indicação médica.

De acordo com a ANS, a drenagem linfática consta no rol de eventos de cobertura obrigatória no item “Reeducação e Reabilitação do Sistema Linfático e/ou Vascular Periférico.

Nesse caso, ela é válida nos planos regulamentados pela Lei nº 9.656/1998, mas apenas quando indicada para o tratamento de condições que prejudiquem a circulação linfática, causadas por diversas doenças ou consequência das mesmas.

A drenagem linfática estética não é de cobertura obrigatória pelos planos de saúde, salvo disposição contrária em contrato.

Confira alguns benefícios da cirurgia ortognática:

  • Melhor posicionamento da musculatura do pescoço e da base da língua;
  • Melhora da oclusão e articulação temporomandibular;
  • Melhor relação entre o esqueleto, músculos e dentes;
  • Melhor qualidade de vida e autoestima;
  • Melhor mastigação e digestão.

Aproveite o plano de saúde para ter mais qualidade de vida através da cirurgia ortognática. Lembre-se, no entanto, que ela está sujeita aos prazos normais de carência, como qualquer outro procedimento. Na dúvida, consulte o vendedor do seu plano de saúde, ele tem todas as informações para você!

(Fontes: Faciesrj, ANS, Terra, Doutor Fernando Reis)

Não tem ainda um plano de saúde? Faça um agora mesmo! Faça uma simulação online sem compromisso, converse com um vendedor especializado e descubra o melhor plano para o seu perfil!

Denise
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Denise Huguet

Jornalista formada pela PUC-RJ com certificação pela Rockcontent em produção de conteúdo. Já fui repórter, redatora, editora, assessora de imprensa e apresentadora de telejornal com passagens por jornais como O Globo, O Fluminense, A Tribuna e várias instituições de pesquisa e ensino. Desde 2010 me dedico integralmente à produção de conteúdo. Portfólio: https://denisehuguet.wixsite.com/dhcomunicacao

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: