fbpx
Ir para o conteúdo
dores Saúde

Infarto em jovens: entenda quais as causas e como prevenir!

Leitura: 8 min
386 visualizações

O infarto é um problema comumente associado a pessoas mais velhas, no entanto, as ocorrências em jovens adultos entre 20 e 39 anos têm aumentado consideravelmente. De acordo com o Ministério da Saúde, a incidência de casos de infarto em pessoas de até 30 anos aumentou em 13% entre 2013 e 2019.

Isso prova que as causas do problema vão muito além de histórico familiar ou doenças preestabelecidas. Os hábitos de vida pouco saudáveis têm uma ligação direta com o aumento dos casos, por isso, é muito importante entender quais são as causas do infarto em jovens e como prevenir.

Neste post, nós vamos esclarecer todas as questões sobre esse assunto. Se você se interessou, aproveite a leitura!

O que é infarto e como ele acontece?

A palavra infarto serve para caracterizar uma lesão irreversível em um tecido do corpo, que ocorre por falta de oxigênio. Isso significa que ele pode acontecer em alguns locais do organismo humano, e não só no coração, como muitos acreditam.

Para que o problema atinja o coração, é preciso que o fluxo de sangue deixe de chegar até ele. Isso ocorre quando uma artéria é obstruída por um coágulo repentinamente, o que geralmente está associado ao acúmulo de gordura nas artérias.

Embora essa seja uma das principais causas, não é a única, principalmente quando falamos de infarto em jovens.

Quais são as causas de infarto em jovens?

O risco de uma pessoa entre 20 e 39 anos sofrer um infarto está associado aos seus hábitos de vida e, principalmente, aos seus hábitos alimentares. Hoje, as pessoas estão mais conscientes do efeito de alguns alimentos para a saúde, no entanto, muitas ainda não conseguem abrir mão de opções pouco saudáveis.

A gordura trans e a gordura hidrogenada são grandes inimigas da saúde e do coração, estando presentes em alguns alimentos, como margarina, pipoca de micro-ondas, sorvetes, batata frita congelada, biscoito recheado, macarrão instantâneo e muitos outros. Ou seja, tudo o que está presente na alimentação de maior parte das pessoas e, principalmente, dos jovens.

Existem outros fatores que colaboram para que uma pessoa com menos de 40 anos sofra um infarto, como:

  • tabagismo;
  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • estresse;
  • uso de drogas;
  • uso de anabolizantes.

Existem também alguns fatores de risco que podem favorecer o problema, como histórico familiar e doenças autoimunes ou trombofílicas.

Quais são os sintomas de infarto?

Em geral, os sintomas de infarto tendem a ser mais expressivos em jovens quando comparados a pessoas mais velhas. Eles podem variar de pessoa para pessoa, assim como a sua gravidade. Alguns dos principais sintomas são:

  • dor no peito que irradia para o braço;
  • suor frio;
  • fraqueza intensa;
  • náuseas e vômitos;
  • desmaios;
  • tontura.
infarto em jovens
Retrato de um jovem na recepção com um laptop, as mãos fechando o rosto

Quando o infarto ocorre nas mulheres, podem surgir outros sintomas, como queimação no peito, pontadas entre o queixo, pescoço e mandíbula e sentimento de pavor. Vale lembrar, também, que o uso de alguns anticoncepcionais favorece a trombose, o que pode acabar em um infarto.

Ao sentir qualquer um desses sintomas de forma repentina e atípica, é essencial procurar a emergência imediatamente. A cada minuto, morrem mais células do coração e aumentam os danos, podendo causar sequelas ou, até mesmo, levar à morte.

Quais os riscos de infarto em jovens?

Muitas pessoas acreditam que o infarto em jovens é menos grave, uma vez que a saúde é mais resistente. Essa ideia, porém, pode ser um equívoco, e o problema é tão letal em jovens adultos quanto em idosos ou pessoas de meia-idade.

Após os 40 anos, o corpo desenvolve uma proteção chamada de circulação colateral, composta de pequenos vasos de irrigação sanguínea que compensam uma possível obstrução caso haja um problema.

Isso não significa que o problema deixa de ser letal para quem já passou dos 40, mas que essas pessoas terão uma chance maior de chegar até o hospital e ser tratadas corretamente, uma vez que a irrigação sanguínea não será 100% interrompida.

Já uma pessoa jovem e em situação grave pode não dispor desse tempo e sofrer consequências graves, já que o coração e os outros órgãos ficarão sem o oxigênio de que precisam.

Como é possível prevenir o infarto?

Qualquer pessoa deve procurar manter hábitos que colaborem para a manutenção da saúde e previnam o infarto, mesmo que não haja nenhuma predisposição hereditária ou um fator de risco.

Para isso, a primeira providência é cultivar uma alimentação saudável, livre de gorduras ruins, alimentos processados, frituras em excesso e bebidas alcoólicas. Quem sofre com obesidade ou problemas alimentares precisa procurar ajuda médica e consultar o melhor tratamento.

A prática de exercícios físicos também é essencial para evitar o acúmulo de gordura no corpo e promover o emagrecimento natural, além de fortalecer os músculos e o sistema imunológico.

Além disso, existem outras providências importantes para evitar o infarto, seja em um jovem, seja em uma pessoa de meia-idade, seja em um idoso:

  • parar de fumar qualquer tipo de cigarro;
  • reduzir ao máximo os níveis de estresse;
  • não fazer uso de drogas;
  • procurar ter boas noites de sono;
  • consultar um médico antes de fazer uso de anabolizantes;
  • fazer exames preventivos todos os anos.

Como é a recuperação após o infarto?

A recuperação de infarto em jovens depende da gravidade da situação. Quando não há grandes complicações associadas ao problema, é possível receber alta dentro de 5 dias após a internação.

É possível retomar a rotina após cerca de 30 dias, mas os cuidados devem ser seguidos ao logo de toda a vida. Se houver a necessidade de tomar uma medicação, ela deve ser uma prioridade.

Também é preciso fazer um acompanhamento com um cardiologista e entender quais foram as causas do problema, para tomar providências que diminuam os riscos de uma nova ocorrência.

Como você conferiu neste post, existem cenários que favorecem o infarto em jovens e que vão muito além da predisposição genética. É preciso cuidar da saúde e manter os check-ups em dia para prevenir o problema e garantir uma saúde mais preparada para enfrentar esse tipo de ocorrência.

Se você suspeita que pode fazer parte do grupo de risco ou já sentiu algum sintoma similar aos que citamos aqui, não hesite ao procurar ajuda médica. O infarto em jovens é um assunto sério, que pode levar à morte, mas que também pode ser prevenido e tratado.

Este post foi útil para você? Então, ele pode ajudar outras pessoas! Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais e ajude seus amigos a cuidarem da saúde!

Bruno
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Bruno Avelino

O melhor canal de informações sobre saúde, bem-estar e planos de saúde do Brasil. Conteúdos com credibilidade e que irão melhorar o seu dia a dia.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: