fbpx
Ir para o conteúdo
Saúde

Embolia pulmonar: sintomas e tratamento

Leitura: 5 min
782 visualizações

Uma embolia pulmonar é um bloqueio de uma artéria nos pulmões por gordura, ar, coágulo de sangue ou células cancerosas. Confira os sintomas e tratamento.

A embolia pulmonar é causada pela obstrução das artérias dos pulmões por coágulos (trombos ou êmbolos) que, na maior parte das vezes, se formam nas veias profundas das pernas ou da pélvis e são liberados na circulação sanguínea. Apesar de mais raros, também existem casos de embolias gordurosas provocadas por traumas ou fraturas, de embolias aéreas (bolhas de ar) e de líquido amniótico.

A gravidade do quadro está diretamente correlacionada com o tamanho do êmbolo. Os maiores podem interromper completamente a circulação pulmonar. Essa condição pode ser mortal.

Causas

As embolias pulmonares são causadas por coágulos provenientes da circulação venosa ou do lado direito do coração, de tumores que invadiram o sistema circulatório, ou de outras fontes como líquido amniótico, ar, gordura, medula óssea ou substâncias estranhas injetadas ou que ganharam acesso à circulação.

A maioria das embolias pulmonares é causada por coágulos que se originam nas pernas, por trombose venosa profunda. Em alguns casos, a embolia pulmonar é grande e pode resultar em morte súbita.

Sintomas de embolia pulmonar

Os primeiros sintomas de embolia pulmonar são:

  • Náuseas;
  • Desmaio;
  • Convulsões;
  • Dor cortante no peito;
  • Falta de ar.

Depois, os sintomas que seguem podem ser:

  • Tosse acompanhada com expulsão de sangue pela boca;
  • Suores intensos;
  • Ritmo cardíaco acelerado.

No caso de pessoas com obstrução de um ou de mais dos grandes vasos pulmonares, a pele pode tornar-se azulada e ter morte súbita.

Diagnóstico da embolia pulmonar

O diagnóstico da embolia pulmonar é feito através de exames, como a angiotomografia computadorizada, cintilografia pulmonar ou angiografia pulmonar.

Uma vez diagnosticada a embolia, é importante investigar a causa para que se possa prevenir novas embolias. Quando o paciente foi submetido a uma cirurgia recentemente, a causa é mais ou menos óbvia e não é necessário grandes investigações. Por outro lado, há pacientes que apresentam quadros de embolia pulmonar sem nenhuma causa evidente. Nestes pacientes é importante investigar trombofilias, ou seja, doenças do sangue que causam formação espontânea de trombos nas veias.

Prevenção

Como se trata de uma doença multifatorial, a prevenção varia de acordo com cada causa. Mas, de modo geral, a adoção de práticas saudáveis como exercícios físicos, o controle da pressão arterial, evitar a associação de anticoncepcional oral com tabagismo e, em situações específicas, como os pacientes acamados, acompanhamento médico para medidas preventivas.

Para quem vai fazer uma viagem de longa distância, o ideal é que seja feita uma consulta médica para evitar problemas. Baseado nos seus riscos, o médico poderá propor cuidados específicos para este momento.

A morte por embolia pulmonar é uma das principais causas de óbito do paciente com câncer mas, de um modo geral, é em grande parte das vezes passível de prevenção. Com o acompanhamento constante do oncologista, combinado a hábitos saudáveis e ao reconhecimento dos sintomas de forma precoce, as chances de cura são enormes.

Tratamento da embolia pulmonar

Os objetivos principais do tratamento da embolia pulmonar são:

  • Impedir que o coágulo sanguíneo cresça;
  • Impedir a formação de novos coágulos.

O tratamento pode incluir remédios para afinar o sangue e diminuir sua propensão a coagular. Se os sintomas ameaçaram a vida, o médico pode dar ao paciente remédios para dissolver o coágulo mais rapidamente. Em ocasiões raras, o médico pode usar cirurgia ou algum outro procedimento para remover o coágulo.

Recomendações

  • Informe seu médico sobre os fatores de risco para o tromboembolismo em sua família;
  • Procure manter o peso ideal para seu tipo físico e idade;
  • Tente abandonar o cigarro, se você fuma;
  • Fique em pé e caminhe pelo avião nas viagens longas. Nas viagens de carro ou de ônibus, não desperdice as oportunidades para descer do veículo e andar um pouco;
  • Faça exercícios para estimular a musculatura das pernas e a circulação sanguínea sempre que for obrigado a permanecer muito tempo sentado ou imóvel;
  • Procure levantar-se tão logo seja liberado para movimentar-se depois de um procedimento cirúrgico ou de um período de repouso.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: