fbpx
Ir para o conteúdo
Exames Saúde

Descubra Se Você Tem Rosácea e Como Tratar

Você já ouviu falar em rosácea? Saiba mais sobre essa doença dermatológica e veja como fazer o tratamento pelo plano de saúde!

Leitura: 6 min
175 visualizações

Bonito de doer e super craque da bola, mas com as bochechas tão vermelhas que chamaram a atenção dos dermatologistas. Quem não se lembra do goleiro brasileiro na Copa do Mundo, Alisson Becker, e da polêmica por causa de sua suposta rosácea? Sim, supostas, por que o diagnóstico só foi dado de longe, pela TV.

Se você também tem esse problema e tem plano de saúde, não precisa ficar na adivinhação. Basta procurar um dos muitos especialistas pelo plano e descobrir como controlar essa vermelhidão.

Mas afinal, o que é rosácea?

A rosácea é um problema antigo, que acabou voltando à tona justamente por causa do nosso goleiro na última Copa do Mundo. De acordo com os dermatologistas, a rosácea é uma doença dermatológica crônica de características inflamatórias.

rosácea

A causa da vermelhidão é a dilatação dos vasos sanguíneos no local, mas ninguém sabe exatamente por que isso acontece. A doença é mais comum nas mulheres, mas mais grave nos homens. Neles, o quadro evolui continuamente com o aumento gradual do nariz por espessamento e dilatação dos folículos, a chamada rinofima.

Ainda sem origem conhecida, a rosácea ocorre mais frequentemente na região das bochechas e pode ter múltiplos fatores. Uma das principais causas é a predisposição genética, já que 30% dos casos apresentam história familiar positiva para a doença.

No entanto, acredita-se que haja também fatores ambientais. Entre estes, estariam o estresse, exposição aos raios UV, uso de cosméticos que causam irritação, álcool, alguns alimentos condimentados, calor e variações climáticas, por exemplo.

Diagnóstico é feito de forma clínica

A rosácea tem mais prevalescência entre os 35 e 45 anos e chega a afetar de 1,5% a 10% da população. A doença é mais comum em pessoas claras e descendentes de europeus, raramente aparecendo em pessoas negras.

O diagnóstico é feito de forma clínica, pelo dermatologista. De uma forma geral, é observada a presença de eritemas e telangiectasias na região central da face, acompanhadas de pápulas e pústulas.

Para a pessoa comum, pode haver uma identificação visual com a acne, fazendo com que chega a ser chamada de “acne rosácea”. Para alguns especialistas, ambos são espectros da mesma doença, sendo que a rosácea teria mais inflamação do que infecção, ao contrário da acne.

Para a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), no entanto, acne e rosácea são doenças completamente diferentes. De acordo com a SBD, a acne é uma doença da glândula sebácea, enquanto a rosácea tem a ver com a dilatação dos vasos sanguíneos.

Por outro lado, a infecção da rosácea não é bacteriana, mas causada pela colonização de um ácaro, o demodex folliculorum. No entanto, tanto a rosácea quanto a acne podem piorar com o estresse e ser tratados pelo plano de saúde.

rosácea

Conheça os principais sintomas da rosácea

A região centrofacial é a mais afetada pela rosácea, onde a pele começa a ficar mais sensível e seca. Aos poucos, o local começa também a ficar mais avermelhado e a se irritar com ácidos e produtos cosméticos.

Com o tempo, aparecem vasos finos, os telangiectasias, além de pústulas e pápulas, podendo haver ocorrência de nódulos e edemas.

Em uma segunda fase, em 50% dos casos aparecem alguns sintomas oculares. Os mais comuns são olhos secos e sensíveis a blefarite, inflamação nas bordas das pálpebras.

Há então uma fase pré-rosácea, na qual o eritema, antes discreto, começa a se agravar com surtos de duração variada. Esses episódios podem aumentar de frequência ou tornarem-se permanentes. Todos os sintomas podem variar de frequência e ocorrência de caso para caso.

Como exame de sangue periférico não oferece subsídios suficiente, geralmente o diagnóstico é feito de forma clínica. No entanto, pode haver a necessidade de biópsia para descartar patologias com quadro clínico semelhante. Já os exames de sangue são importantes quando o tratamento incluir medicamentos orais.

Rosácea não tem cura – mas tem tratamento

A rosácea é uma desordem crônica não contagiosa e sem cura, mas que pode ser controlada através de tratamento.

O plano de saúde cobre todo o procedimento, que pode ser feito de diversas formas: através do controle dos gatilhos ambientais, de medicamentos tópicos ou orais, ou ainda por procedimentos a laser e luz pulsada.

O tratamento mais adequado será determinado pelo dermatologista do plano de saúde de acordo com cada caso. Além disso, as mulheres podem ficar tranquilas, por que geralmente é possível usar maquiagem enquanto ele é feito. Deve-se evitar, entretanto, cosméticos à prova d’água e todos os que forem muito densos ou de difícil remoção.

Agora que você já conhece os sintomas da rosácea, não precisa perder mais tempo. Em caso de suspeita, consulte seu dermatologista do plano de saúde e inicie o quanto antes o tratamento.

(Fontes: Ana Maria Braga, Revista Marie Claire, SBD)

Não tem plano de saúde ainda? Faça o seu agora mesmo! Peça um orçamento sem compromisso e converse com um dos nossos consultores especializados! Clique aqui.

 

Denise
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Denise Huguet

Jornalista formada pela PUC-RJ com certificação pela Rockcontent em produção de conteúdo. Já fui repórter, redatora, editora, assessora de imprensa e apresentadora de telejornal com passagens por jornais como O Globo, O Fluminense, A Tribuna e várias instituições de pesquisa e ensino. Desde 2010 me dedico integralmente à produção de conteúdo. Portfólio: https://denisehuguet.wixsite.com/dhcomunicacao

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: