Ir para o conteúdo
Planos de Saúde

Como estipular o preço de plano de saúde individual!

Leitura: 6 min
875 visualizações

É importante lembrar que o preço de plano de saúde individual é um dos fatores fundamentais na hora de fazer a escolha de uma assistência médica – lembrando que é  necessário saber mais sobre os seus tipos, as redes credenciadas e entre outras informações importantes.

Sendo assim, confira o texto a seguir para ficar por dentro de tudo o que se refere a planos de saúde e seus preços.

 

O que interfere no preço?

Um dos fatores principais, e que principalmente influencia no preço de plano de saúde individual, é a questão sobre a quantidade de serviços que o plano de saúde dá direito ao beneficiário. Por exemplo, um plano de saúde que apenas inclua consultas e exames normalmente (e tendencialmente) é mais barato que outro que também ofereça junto tratamentos odontológicos e o direito à internação hospitalar emergencial. 

Outra condição importante a se destacar sobre o preço de plano de saúde individual, é que, o plano que só concede direito ao atendimento na cidade em que você mora tende a ser mais barato do que outro que permita que você seja atendido em qualquer lugar do país. 

A idade do beneficiário, também é destacada como um fator muito significativo e que influencia diretamente no preço de um plano de saúde. Quanto mais idoso o beneficiário for, maiores são as chances de que ele precise usar os serviços de saúde com mais frequência, e por isso, as operadoras tendem aumentar com o valor do convênio.

 

O tipo do plano também influencia nos preços

Mesmo o texto abordando principalmente o preço de plano de saúde individual, é importante termos uma resolução dos demais tipos – e como os preços podem variar de acordo com cada um.

Planos individuais

O ajuste conforme mudança de faixa etária é igual para qualquer tipo de plano, ou seja, sempre que você mudar de uma faixa etária para outra, o valor do seu plano vai subir. Essas mudanças acontecem dos 18 aos 59 anos, com intervalos de 5 anos. A primeira mudança acontece dos 18 para os 19, a seguinte com 24, depois com 29 e assim por diante, até os 59. E a partir dos 59 não existem mais mudanças de faixa etária.

Já o ajuste anual não funciona da mesma forma para todos os tipos de plano. Como o próprio nome diz, o ajuste ocorre na data de aniversário de cada contrato. Para planos de saúde individuais e familiares, esses ajustes são limitados pelo índice da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), mas os planos podem aumentar menos do que o índice. 

Planos empresariais/coletivos

Ao contrário do que acontece nos planos individuais, nos planos de saúde coletivos os reajustes não são definidos pela ANS. Nesses casos, a Agência apenas acompanha os aumentos dos preços. Eles são reajustados através de livre negociação entre a operadora do plano de saúde e o representante do grupo contratante (empresa, fundação ou associação) e a ANS não interfere nessa negociação. Em 2018 o aumento máximo permitido pela ANS para planos de saúde individuais foi de 10%. 

O que interne no valor de reajuste no caso de plano de saúde empresariais (ou coletivos) são o número de sinistralidades e a taxa de inflação médica, esses dois fatores combinados são o que definem o valor de um plano de saúde empresarial.

Existem vários tipos de planos de saúde que são oferecidos por diversas operadoras em todo o país. Saber o seu perfil, analisar preços com o uso de um simulador e pesquisar bem é o caminho para escolher o melhor plano para você ficar livre de problemas futuros!

 

Como posso contratar?

Convênios têm sido cada vez mais difícil de ser adquirido pelos demais em nosso país, principalmente por conta de o preço de plano de saúde individual ser bastante elevado – por isso, muitos não são disponibilizados para pessoas físicas independentes. 

A maneira mais usual de adquirir um plano de saúde é através da empresa. Na maioria das companhias, os funcionários recebem como benefício (que é descontada da sua bolsa auxílio) um convênio de saúde, determinado pela própria empresa. Contudo – por mais inacreditável que pareça – o convênio médico não é um benefício obrigatório por lei.

 

Conhecendo o simulador de plano de saúde

O simulador é uma ferramenta para cotação aproximada de valor de planos de saúde sem obtenção de dados pessoais, apenas com algumas informações relevantes que interferem no preço do plano, como idade, número de dependentes e se o plano será para pessoa física (individual ou familiar) ou para empresas.

A ferramenta também realiza um orçamento comparativo de preços entre empresas e operadoras que oferecem este serviço.

Ou seja, um simulador é uma ferramenta facilitadora para quem quer cotar um plano de saúde sem o comprometimento de divulgação de dados pessoais, sem nenhum comprometimento com qualquer operadora ou qualquer custo.

 

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: