fbpx
Ir para o conteúdo
Exames Oftalmológico

Entenda como é feita a cirurgia de miopia e quando é indicada

Leitura: 8 min
656 visualizações

Muitas pessoas apresentam dificuldades para enxergar objetos e letras de longe e sonham em deixar de usar lentes de contato ou óculos. Nessas situações, a cirurgia de miopia pode ser uma boa opção, mas a correção refrativa é realizada por meio do laser e é indicada para indivíduos que já têm o grau da miopia estabilizado.

O problema é um distúrbio visual caracterizado por um globo ocular mais longo, provocando a formação da imagem antes que a luz chegue à retina. Por isso, a primeira etapa é consultar um oftalmologista especializado para que os exames sejam feitos e para que ele possa indicar o melhor tipo de cirurgia.

Neste post, vamos mostrar como funciona a cirurgia de miopia. Confira!

Quais exames devem ser feitos?

Nenhuma cirurgia de miopia deve ser realizada antes de concluir todos os exames necessários. O principal objetivo é verificar a curvatura da córnea, pois cada indivíduo apresenta imperfeições diferentes.

Logo, caso você esteja dentro do grupo que pode fazer a cirurgia, o especialista solicitará a interrupção do uso de lentes de contato, tanto das rígidas quanto das gelatinosas, variando de 1 semana até 6 meses. Após isso, o oftalmologista pede diversos exames, como:

  • mapeamento de retina;
  • paquimetria;
  • topografia da córnea;
  • exame de grau.

Como funciona a cirurgia de miopia?

O procedimento é bastante rápido e dura cerca de 15 minutos. A primeira etapa consiste no corte da membrana que envolve a córnea, conhecida como epitélio, sendo importante para que o laser realize a correção de modo apropriado. Após isso, o nivelamento da córnea é feito por meio do Excimer Laser.

Os tecidos são separados em certa profundidade da córnea, não sendo necessário que um corte seja feito. Em seguida, a correção do grau é realizada por meio da retirada do tecido da córnea de acordo com a necessidade de cada pessoa. A cirurgia também pode ser auxiliada pelo laser Femtosegundo, uma opção que entrega muitos benefícios.

Ele pode ser indicado para indivíduos que apresentam miopia elevada ou córneas finas. Além disso, é indolor, mais seguro, confere resultados mais rápidos, produz menos efeitos colaterais e não apresenta inflamação. Nessa situação, o laser Femto opera com uma frequência de pulsos rápidos, garantindo uma segurança maior durante a cirurgia.

cirurgia de miopia

Quais são os diferentes tipos de cirurgia de miopia?

Há diversas técnicas para a correção da miopia cirurgicamente. A seguir, falaremos das principais, que são realizadas todos os dias nos centros especializados.

PKR

A PKR é uma cirurgia a laser muito utilizada. Sua principal vantagem é a versatilidade. Além da miopia, pode ser utilizada para corrigir o astigmatismo e a hipermetropia. Então, é ideal para aquelas pessoas que apresentam mais de um distúrbio da refração ocular, como miopia associada ao astigmatismo.

No entanto, apresenta uma maior chance de complicação, então, os oftalmologistas estão migrando para a LASIK quando o caso exige somente a correção da miopia isolada.

LASIK

Essa é a cirurgia mais moderna entre todas as opções e, por isso, pode ser mais cara. Ela é feita a laser, sob anestesia local. Por essa razão, é um procedimento muito pouco doloroso e permite que a pessoa volte para a casa no mesmo dia.

A LASIK objetiva corrigir a curvatura inadequada da córnea, a qual causa o desvio dos raios solares de forma irregular. Com isso, busca devolver o formato côncavo de meia lua fisiológico. A menos que haja uma mudança no formato do olho do paciente ou que não sejam seguidas as recomendações pós-cirúrgicas, a LASIK é definitiva.

Lentes intraoculares

Nos casos em que não é possível realizar uma cirurgia a laser, é viável indicar a instalação de lentes corretivas dentro da estrutura do olho míope. Ou seja, será como se você tivesse uma lente de contato dentro do olho. O procedimento também é bem simples, mas exige mais cuidados durante o pós-operatório.

Por ser um corpo estanho, o nosso organismo pode reagir com as lentes e provocar reações inflamatórias. Além disso, o material pode entrar em atrito com o tecido, causando lesões microscópicas. Assim, a cada dois anos, é necessário ir ao oftalmologista para que ele faça um exame cuidadoso da saúde da retina. Outra desvantagem é o preço elevado, pois se trata de uma cirurgia muito mais complexa, que leva mais tempo e gasta muito mais materiais do que o laser.

Quais são as contraindicações da cirurgia?

Alguns fatores podem contraindicar o procedimento, como a amamentação e a gravidez. Nesses casos, a cirurgia pode ser feita após essas fases. Além disso, outros problemas podem impedir que a cirurgia seja realizada, como artrite, diabetes, olho seco e lúpus.

Como é o pós-operatório?

Após a cirurgia, é normal ter sensibilidade à luz, sensação de areia no olho e inchaço nas pálpebras. Assim, é importante ficar em repouso e evitar praticar esportes por 15 dias. As atividades profissionais podem ser retomadas, de acordo com o sintoma da pessoa. Além disso, coçar e esfregar os olhos deve ser evitado.

Quem pode realizar a cirurgia?

A cirurgia é indicada para as pessoas que têm sua funcionalidade diária prejudicada devido à miopia e querem uma solução potencialmente definitiva. Portanto, quem tem graus menores ou está bem adaptado aos óculos e às lentes deve avaliar bastante se vale a pena realizá-la. Afinal, apesar de ser uma cirurgia extremamente segura, como todo procedimento invasivo, não está isenta de riscos.

Além disso, o consenso da maioria dos oftalmologistas, atualmente, recomenda que ela só seja realizada em pessoas acima de 21 anos sem variação de grau há mais de um ano. Isso significa que as estruturas do olho estão estáveis e, portanto, há menos riscos de o procedimento falhar depois de alguns meses devido à reacomodação do olho. Há também uma faixa ideal de grau para o sucesso do procedimento, -1.00 até -8.00 de miopia.

Quais são os riscos e as possíveis complicações da cirurgia?

Apesar de ter uma taxa de complicações baixíssima, estando entre um dos mais seguros procedimentos cirúrgicos, a cirurgia refrativa a laser pode apresentar os seguintes riscos:

  • olho seco transitoriamente;
  • sensação de areia no olho;
  • desconforto;
  • vermelhidão no globo ocular;
  • problemas de cicatrização da córnea etc.

Uma minoria dos pacientes também relata problemas relacionados à acuidade visual. Eles se referem à sensação de borramento ou de flashes de luz quando estão em um ambiente iluminado. Felizmente, todas as complicações são potencialmente corrigidas. O caso mais grave é a infecção da córnea, a qual pode ser evitada com uma boa higienização do paciente e do seu leito.

Como vimos, a cirurgia de miopia é uma boa opção para as pessoas que desejam parar de usar óculos ou lentes de contato. Por isso, é muito importante contar com um bom plano de saúde para que o procedimento seja feito com médicos especializados e em uma clínica de qualidade.

Você já tinha ouvido falar das cirurgias para a correção da miopia? Já conhecia todas essas informações? Não?! Então, não deixe de compartilhar o nosso post nas redes sociais!

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: