fbpx
Ir para o conteúdo
Para Mulheres Saúde

8 substâncias que mais causam problemas hormonais

Leitura: 8 min
1022 visualizações

Assim como em qualquer outro país, os problemas de saúde no Brasil são causados por fatores variados, mas muita gente não tem a exata noção de como o ambiente pode influenciar no funcionamento do organismo. A maioria das pessoas costuma atribuir os problemas hormonais, por exemplo, à idade, a desequilíbrios causados por medicamentos ou herança genética, e nem imagina que também eles podem sofrer graves influências do meio em que se vive. A organização americana Environmental Working Group (EWG) resolveu pesquisar o assunto a fundo e fez uma lista com as substâncias químicas que mais causam danos ao corpo por provocarem distúrbios hormonais.

Os chamados desreguladores endócrinos estão presentes no dia a dia, em objetos e produtos que usamos, na água e até em diversos brinquedos. Nada como ter um bom plano de saúde e estar sempre em dia com as consultas preventivas, é claro, mas saber como evitar o consumo e o contato com essas substâncias também é muito importante.

Conheça as substâncias para poder evitá-las

Quando em contato com o organismo os desreguladores endócrinos imitam a ação dos hormônios naturais, fazendo com que estes tenham a sua ação ou produção alterada, especialmente nos jovens. A lista foi feita com base em artigos científicos sobre o assunto e que, inclusive, os associam a diversas doenças, como danos à cognição, à fertilidade e até ao aumento do risco de alguns tipos de câncer.

Foi graças a estudos assim que em 2011 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização de mamadeiras com o bisfenol A (BPA), por exemplo, um composto químico presente em latas de alumínio e artigos de plástico e que é associado à obesidade, problemas de fertilidade, e câncer, entre outros males.

De olho nos perigos para o organismo

A lista traz desreguladores endócrinos prejudiciais à saúde e como podem ser evitados ou minimizados. Vale a pena prestar atenção e esclarecer qualquer dúvida com o seu médico do plano de saúde. Lembre-se que, através dele, você tem acesso aos melhores clínicos e especialistas além de programas preventivos oferecidos por algumas linhas de planos.

Bisfenol A (BPA)

Presente no revestimento interno das latas de alumínio (cerveja, refrigerante, sucos) e em algumas embalagens plásticas feitas de policarbonato. Ele imita a ação do estrogênio, o hormônio sexual feminino, e age diretamente sobre as glândulas endócrinas. É associado ao câncer de mama, a doenças cardíacas e à obesidade, além de problemas de reprodução. Evite embalagens que tenham o símbolo “PC” ou com o símbolo de reciclagem com os números 3 ou 7, que indicam a presença do BPA.

Atrazina

Comumente usado nas culturas de milho no continente americano, a atrazina é um herbicida que pode contaminar a água potável, chegando ao ponto de fazer sapos machos passarem a ovular. Associada ao aumento do risco de câncer de mama e de próstata, puberdade tardia e inflamação na próstata entre animais, a melhor forma de evita-la é consumindo mais alimentos orgânicos e passar a água por um filtro que seguramente remova a atrazina.

Perclorato

Usada na fabricação de combustível para foguetes mas também como herbicida e fertilizante capaz de contaminar o leite e a produção de alimentos. No corpo humano o perclorato compete com o iodo, afetando a regulação do metabolismo, do desenvolvimento cerebral e dos órgãos infantis, já que o iodo é o ingrediente necessário para que a glândula tireoide produza hormônios. A dica é usar filtros de osmose reversa e consumir doses ideais de iodo para garantir sua presença no organismo. Essa dose deve ser indicada pelo seu médico do plano de saúde individual, familiar, coletivo ou empresarial.

Dioxina

Peixes, carnes, leites, ovos e manteiga, produtos de origem animal, de forma geral, são mais propícios a serem contaminados pela dioxina, formada a partir da combustão em uma série de processos industriais. Pesquisas mostram que o contato coma substância ainda no útero e durante os primeiros anos de vida pode afetar a qualidade e a concentração de espermatozoides no sêmen. A dica é reduzir o consumo de produtos de origem animal.

Ftalatos

Essa substância é usar para tornar o plástico mais maleável, mas pesquisas indicam que pode causar a morte precoce das células germinativas do homem, que dão origem aos espermatozoides, sendo associada também à pior qualidade e à redução da quantidade de destes no sêmen, além de alterações hormonais como diabetes, problemas de tireoide e obesidade. Evite o contato com brinquedos e produtos de higiene pessoal que tenham ftalatos (ver composição) e objetos de PVC que levem o 3 no símbolo de reciclagem.

Chumbo

Responsável por alterações em praticamente todos os órgãos do corpo de homens e mulheres, sendo associado a diversos problemas, como parto prematuro e aborto espontâneo, danos cerebrais e cognitivos, hipertensão, e problemas hormonais, como a sinalização hormonal que regula o estresse, reduzindo a capacidade orgânica de lidar com processos como depressão, ansiedade e hipertensão. Estudos mostram que crianças com dieta saudável absorvem menos chumbo. Evite deixar tintas descascadas nas paredes por muito tempo, tenha um bom filtro de água e mantenha a casa sempre limpa e com a manutenção em dia.

Arsênio

Presente nos conservantes de madeira e couro e também em herbicidas e vários tipos de veneno, pode contaminar alimentos e água, além de ser encontrado em alguns frutos do mar. O arsênio causa cânceres de pulmão, pele e bexiga, altera o funcionamento dos hormônios com ganho ou perda de peso, alta da pressão arterial e resistência à insulina. Bons filytros d’água conseguem reduzir a concentração de arsênio.

Mercúrio

Apesar de natural, o mercúrio é tóxico e entra em contato com a água do mar e o ar através, principalmente, da queima de carvão. Ele causa alterações no hormônio que regula a menstruação e a ovulação, danifica as células produzidas pelo pâncreas podendo levar ao diabetes e, nas mulheres grávidas a substância pode prejudicar o cérebro do feto. Ele pode contaminar os frutos do mar, por isso ao consumi-los prefira salmões e trutas cultivadas que não têm mercúrio e são fonte de gordura saudável.

Lembre-se que o melhor tratamento para qualquer doença é a prevenção. Procure seguir as orientações do seu médico e faça sempre o check-up anual, ele é a melhor forma de manter suas taxas nos níveis desejáveis e aumenta suas chances de um diagnóstico precoce em caso de doença.

Se você ainda não tem um plano de saúde, consulte a lista de operadoras que oferecem planos na sua região e fale com um corretor especializado. Ele vai esclarecer qualquer dúvida e indicar o plano mais indicado ao seu perfil de consumidor.

Plano
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Plano de Saúde

O melhor canal de informações sobre saúde, bem-estar e planos de saúde do Brasil. Conteúdos com credibilidade e que irão melhorar o seu dia a dia.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: