fbpx
Ir para o conteúdo
Para Idosos Saúde

8 fatos sobre ser idoso em São Paulo

Leitura: 9 min
903 visualizações

A terceira idade atinge pessoas do mundo inteiro, claro, mas dependendo da região em que se vive, ser idoso pode ser um fardo maior ou menor de carregar.

A verdade, no entanto, é que passar dos 60 anos não precisa ser um peso. Com a popularização cada vez maior dos planos de saúde e o acesso facilitado a diversos especialistas, manter a saúde mental e física está um pouco mais fácil.

No entanto, a maioria dessa população ainda sofre com as dificuldades típicas da terceira idade, tanto físicas quanto sociais.

Em São Paulo, por exemplo, os idosos deverão dobrar em quantidade nos próximos 20 anos, segundo a estimativa da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

Os cálculos é que deverão haver 12 idosos para cada dez jovens em 2030, quando a população do estado deverá alcançar a marca dos 12 milhões de habitantes.

Mas será que a cidade está preparada para acolhê-los da forma adequada? Conheça agora 8 fatos sobre ser idoso em São Paulo, entre curiosidades e iniciativas para a melhoria da qualidade de vida.

1 – Atravessar a rua pode ser um imenso obstáculo para o idoso

O que para a maioria das pessoas é um ato banal repetido diversas vezes por dia, para os idosos pode ser uma verdadeira via crucis.

Estudo da Universidade de São Paulo descobriu que a maioria absoluta deles (97,8%) não consegue caminhar na velocidade exigida pelo padrão apresentado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-SP) para os sinais da cidade, que é de  4,3 Km/h.

A pesquisa mostrou que a maioria das pessoas com 60 anos ou mais consegue chegar apenas a 2,7 Km/h.

O fato, segundo os pesquisadores, colabora para que o idoso acabe cada vez mais confinado em casa, influenciando na perda de autonomia e na qualidade de vida.

Um aumento de apenas 5 segundos no tempo dos semáforos já resolveria o problema sem causar grande impacto no trânsito.

2 – Vila dos Idosos inspira outras regiões do país

Uma iniciativa está inspirando outras regiões do país a seguir o exemplo: a Vila dos Idosos, no bairro do Pari, região central da cidade, completa dez anos de sucesso.

Com 145 unidades habitacionais, o projeto da Prefeitura de São Paulo em parceria com Grupo de Articulação para Moradia do Idoso da Capital (Garmic) para o Programa Locação Social atende a 200 idosos que recebem até três salários mínimos de aposentadoria.

As 90 kitnetes para solteiros e 55 para casais custam o equivalente entre 10% e 15% dos rendimentos de suas aposentadorias, além de uma taxa condominial no valor de R$ 35.

Recife, Piauí e Minas Gerais são algumas regiões que já cogitam reproduzir o modelo. A meta da Garmic é construir Vilas dos Idosos menores, de 40 unidades, em cada uma das 32 subprefeituras da cidade de São Paulo. Saiba mais aqui.

3 – Número de passageiros com 60 anos ou mais dobra no Metrô de São Paulo

Em apenas dois anos de gratuidade no Metrô de São Paulo, o número de passageiros idosos passou de 25 milhões, em 2013, para 51 milhões em 2015, um aumento de 106%.

Os números reais, no entanto, prometem ser ainda maiores, já que esse registro leva em consideração apenas os passageiros que usaram a gratuidade apresentando o bilhete do idoso: e possível viajar sem pagar também mostrando apenas a carteira de identidade.

A medida, que a grosso modo beneficia a mobilidade na terceira idade, também facilita o transporte dos idosos aos médicos, clínicas e hospitas, incentivando os tratamentos de saúde e melhorando sua qualidade de vida.

4 – Projetos para idoso ganham verba de R$ 10 milhões 

O Conselho Estadual do Idoso de São Paulo (CEI-SP) tem verba de R$ 10 milhões para serem aplicados em projetos voltados para a terceira idade em 2017.

Além disso, qualquer empresa ou pessoa física pode fazer doações (o aporte das estatais é garantido por lei) para os oito eixos que nortearão esses projetos, da inclusão digital à inserção no mercado de trabalho, do mapeamento e erradicação da violência ao fortalecimento familiar e os cuidados com os idosos.

As propostas foram entregues até março e estão em fase final de análise. A verba também deverá ser utilizada em pesquisas que levantem dados sobre os idosos, de violência a hábitos de saúde, para capacitar mais conselheiros e para o projeto SP Amigo do Idoso.

5 –  São Paulo tem o primeiro AME exclusivo do idoso

A população idosa de São Paulo conta com um Ambulatório Médico de Especialidades (AME) exclusivo para a terceira idade.

Situado no bairro da Lapa, na Zona Oeste da capital, a unidade é gerenciada em parceria com Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e conta com 21 especialidades médicas e não-médicas e equipe multidisciplinar voltada exclusivamente para o público idoso.

O AME Idoso foi realizado com uma verba de R$ 10,7 milhões e conta também com serviços de assistência social e reabilitação que estão sendo implantados de forma gradativa. Saiba mais aqui.

6 – Idoso conta com 3 Centros-Dia em SP

Os bairros de Bom Retiro, Lapa e Ipiranga contam com Centros-Dia de atendimento exclusivo a idosos. Esses locais permitem que eles passem todo o dia em atividades que visam inclusão social e melhoria da qualidade de vida, retornando para suas famílias apenas no final da tarde.

A ideia é acolher os idosos que não têm condições de ficarem sozinhos durante o dia, que tenham comprometimento de saúde e/ou denúncias de maus-tratos e casos encaminhadas pelo Ministério Público.

Nos Centros-Dia, equipes multidisciplinares formada por nutricionista, assistente social, psicólogo, enfermeira, terapeuta ocupacional e dez cuidadores, além de profissionais de administração, que prestam cuidados especiais aos idosos, desenvolvem ações de acolhida, informação, escuta e orientação.

7 – Academias especializadas para idosos fazem sucesso em São Paulo

Várias academias estão se especializando no atendimento a idosos em São Paulo, com atividades especialmente desenvolvidas para a terceira idade, como natação, bicicleta, caminhada, ioga, pilates e musculação.

A prática de exercícios físicos melhora a qualidade de vida do idoso, colaborando para a manutenção do peso; a redução do risco de lesões musculares; a melhoria do condicionamento cardíaco e respiratório, diminuindo o risco de doenças do coração; promove auxílio no controle do diabetes; melhora a coordenação motora e o equilíbrio, diminuindo consideravelmente o risco de quedas e fraturas; diminui o risco de quadros depressivos e proporciona o bem estar. Confira a lista aqui.

8 – Idosos contam com 8 delegacias especializadas

São Paulo conta com oito Delegacias Especializadas de Proteção à Pessoa Idosa (Decap), onde as pessoas com 60 ou mais contam com orientação feita por estagiários de Direito e encaminhamento aos órgãos competentes.

No local são atendidos queixas não-criminais, como denúncias de negligência, abandono, maus tratos e exploração financeira do idoso.

Elas ficam no Centro, Jabaquara, Perdizes, Carandiru, Vila Gomes Cardim, Santo Amaro, Conj. Hab. Padre Manoel da Nóbrega e Jd. Nossa Senhora do Carmo.

Apesar dos avanços do atendimento público ao idoso, os planos de saúde também são essenciais para a melhoria da qualidade de vida, inclusive com diversos programas voltados especificamente para a terceira idade.

Converse com um dos nossos vendedores especializados e confira as vantagens dos planos de saúde para idosos.

Denise
SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

Denise Huguet

Jornalista formada pela PUC-RJ com certificação pela Rockcontent em produção de conteúdo. Já fui repórter, redatora, editora, assessora de imprensa e apresentadora de telejornal com passagens por jornais como O Globo, O Fluminense, A Tribuna e várias instituições de pesquisa e ensino. Desde 2010 me dedico integralmente à produção de conteúdo. Portfólio: https://denisehuguet.wixsite.com/dhcomunicacao

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: