fbpx
Ir para o conteúdo
Planos de Saúde Saúde

10 verdades sobre os planos de saúde que todo mundo deve saber

Leitura: 9 min
416 visualizações

Opção cada vez mais aceita entre a população, os planos de saúde vêm dominando a preferência quando o assunto é obtenção de serviços médicos. Entre quem frequenta clinicas e hospitais particulares, a maioria das pessoas são usuárias de algum serviço de plano de saúde que garante assistência completa quando precisa.

Além disso, os planos de saúde já estão sendo procurados por públicos diferentes, não apenas por pessoas de idade avançada. O preconceito de que os planos de saúde só são úteis na terceira idade já está caindo, uma vez que o serviço passou a ser indispensável para gestantes e crianças, que precisam de uma atenção médica especial.

Há muitas verdades que rondam os planos de saúde e operadoras instaladas pelo país. No entanto, muitas pessoas desconhecem alguns fatos e carregam dúvidas e ideias erradas que as vezes impedem de tomar a decisão de contratar o serviço. Para ajudar ainda mais a esclarecer falsas ideias sobre os planos de saúde, veja 10 verdades que todo mundo deve saber sobre o assunto:

1. Diversos fatores determinam a qualidade de um plano

Julgar a qualidade de um plano de saúde não é uma tarefa fácil, o que deixa muitos usuários inseguros na hora de optar por uma operadora específica ou por um serviço específico. Por mais que haja operadoras mais populares que outra, nem sempre a marca é o único fator que irá determinar a qualidade do plano.

Um plano de saúde de qualidade é aquele que apresenta uma ampla rede credenciada, capaz de atender aos assegurados próximos as suas residências. A qualidade do plano também se dá pela quantidade de serviços oferecidos em comparação com o preço do serviço. Quanto mais completo e capaz de atender as necessidades de cada cliente específico, maior será a qualidade do serviço obtido.

2. Planos de saúde são indispensáveis na gravidez

Muitas mulheres se arrependem por não planejarem a contratação de um plano de saúde antes ou durante a gestação. Fazer o pré-natal pelo SUS nem sempre garante o conforto necessário e desejado para cuidar deste momento tão importante da vida. Com um plano de saúde em mãos, as mulheres podem se sentir mais protegidas e seguras durante todas as fases da gravidez e também após o parto.

3. Mães e bebês podem usufruir do mesmo plano

Ainda com relação aos benefícios dos planos na gestação, o fato é que a possibilidade de incluir o bebê no plano é uma das principais razões que fazem com que as futuras mamães procurem pela obtenção do serviço. A família só tem a ganhar com a inserção da criança ao plano após o nascimento, pois o pequeno não precisará cumprir tempo de carência e poderá usufruir de todos os serviços de saúde sem custo extra na mensalidade.

A possibilidade serve tanto para o plano de saúde da mãe quanto do pai, desde que o serviço tenha cobertura obstétrica. Além disso, é necessário cadastrar o bebê no serviço durante o primeiro mês após o nascimento, pois é o prazo máximo para resolver a burocracia que envolve colocar o nome da criança no plano da mãe ou do pai.

4. Despesas com plano de saúde e o imposto de renda

As despesas com plano de saúde devem ser adicionadas ao imposto de renda e, esquecer desse detalhe é uma das razões que colocam muitos contribuintes na malha fina. O período para fazer a declaração é no mês de março de cada ano e é possível fazer o processo de forma online, através do programa disponibilizado pela Receita Federal.

Na ficha preenchida pelo contribuinte, o gasto total com o serviço deve ser especificado, junto com o CNPJ da operadora. Quando o usuário faz consultas com médicos de fora da rede credenciada há a possibilidade ainda de receber o reembolso.

5. Planos de saúde coletivos são mais baratos

Os serviços de planos de saúde contratados pelas empresas para seus funcionários acabam saindo bem mais em conta. Isto porque o custo por pessoa reduz quando há diversos clientes usufruindo de forma coletiva de um determinado serviço. O mesmo também vale para os planos familiares, que apresentam valores mais baratos por pessoa do que o que as opções de planos individuais.

6. Cidades com melhor IDHM possuem maior cobertura dos planos

No Brasil, as cidades que possuem o melhor IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano) são aquelas também que apresentam maior cobertura dos planos de saúde. Locais em que a qualidade de vida é mais alta há também maior procura pelos planos, o que resultou em uma porcentagem de 94% dos contratos concentrados nas cidades com IDHM mais elevado.

São 1.933 municípios brasileiros com um IDHM alto, sendo que apenas 44 cidades possuem IDHM muito elevado. Essas cidades estão divididas entre São Paulo (24), Santa Catarina (11), Espírito Santo, Minas Gerais e Paraná (2), Distrito Federal e Rio Grande do Sul (1).

7. O assegurado é livre para trocar o plano ou operadora quando desejar

Um preconceito que ronda os planos de saúde é que desistir do serviço é algo muito incomodo e complicado, principalmente se o usuário desejar trocar de operadora. A verdade é que a ANS (Agência Nacional de Saúde) garante os direitos dos assegurados de trocar de operadora quando desejarem, sem a necessidade de passar por tempo de carência novamente. A única exigência neste processo é que as mensalidades com a operadora atual estejam em dia.

8. Ampla cobertura no tratamento do câncer

A ANS vem aumentando cada vez mais a responsabilidade das operadoras de saúde no combate ao câncer. No início de 2014, mais 37 remédios contra o câncer foram adicionados na cobertura obrigatória que deve ser fornecida pelos planos. Além disso, procedimentos cirúrgicos e tratamentos diversos fazem parte da obrigação das operadoras com seus assegurados, o que faz com que os planos de saúde sejam a melhor escolha para tratar doenças graves e com um alto custo no tratamento.

9. A inclusão do recém-nascido no plano da mãe é incrivelmente simples

Não há nada de complicado na burocracia de colocar o recém-nascido no plano de saúde da mãe (ou do pai) como muitos pensam. A documentação necessária para isso é a certidão de nascimento da criança e o CPF do responsável. Com esses documentos, basta cadastrar a criança no serviço ainda durante os primeiros 30 dias após o nascimento.

10. Plano de saúde é sinônimo de qualidade de vida

Investir em um plano de saúde é um dos meios mais garantidos de cuidar da saúde de forma plena. Por mais que os planos exijam mensalidades que as vezes podem ser um pouco salgadas, o fato é que o valor pago compensa assim que um serviço de saúde se faz necessário. Seja criança, adulto, gestante ou idoso, os planos podem ser úteis em qualquer fase da vida e trazer um conforto médico perto de casa que nenhum outro serviço existente pode oferecer ao cidadão comum.

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: